MVP: tudo que você precisa saber para validar sua ideia

Tanto Facebook, como Dropbox e Apple começaram sua jornada usando essa estratégia de 3 letras. Uma sigla e por de trás dela um conceito tão profundo que revolucionou o mundo da tecnologia. Estamos falando do conceito de produto mínimo viável ou MVP.

Criado por Eric Reis, o conceito de produto mínimo tem como principal função validar as hipóteses da sua solução gastando o mínimo de recursos para isso. Nesse post iremos abordar os seguintes pontos sobre MVP:

  • O que é MVP?
  • A importância de um MVP
  • Como criar um produto mínimo viável?

O que é MVP?

Em 2008, quando a Airbnb foi fundada, eram duas pessoas que não podiam pagar o aluguel. Então eles decidiram transformar sua sala de estar em um quarto com colchões de ar para três pessoas. Depois que eles ganharam algum dinheiro alugando sua sala de estar, eles construíram um site simples para oferecer seus serviços na internet. Este primeiro site não tinha todos os recursos do site atual do Airbnb, mas ainda podia fornecer acomodações para quem precisasse.

Com base na história da Airbnb – e outras startups que começaram da mesma maneira – podemos definir um MVP como um produto que fornece apenas o serviço mais importante (sua funcionalidade principal). Depois que este produto for lançado, você poderá testá-lo em usuários reais, aprender com eles e continuar aprimorando e desenvolvendo seu MVP. Um dia, esse MVP se tornará um produto completo.

A importância de um MVP

Desenvolver uma solução completa ou um produto é demorado e desperdiça tempo e recurso, especialmente se a startup está desenvolvendo a solução errada ou desenvolvendo propriedades desnecessárias.

O problema é que no estágio inicial, desenvolvimento do produto e garantia de qualidade, você obtém muito pouca informação do mercado e do cliente, então quase não há aprendizado. A maior parte do aprendizado acontece após o lançamento do produto.

A solução para este problema na metodologia lean startup é o conceito de um produto mínimo viável. Com esse conceito, a startup aprende mais sobre o mercado e os clientes, sem finalizar o desenvolvimento de produtos com base em suposições que podem estar erradas.

Aprenda, adapte-se e se livre das falhas

Nos métodos tradicionais de desenvolvimento de produtos, que geralmente incluem longos estágios de desenvolvimento até o aperfeiçoamento do produto e até que esteja pronto para o mercado, o aprendizado geralmente começa apenas no final, quando o produto já está completo e no mercado.

O objetivo do MVP é que o aprendizado comece imediatamente. Ao contrário do conceito de protótipo ou piloto, o objetivo do produto mínimo viável não é responder às questões técnicas e de design do produto, mas sim possibilitar o teste das principais premissas do modelo negócio.

O produto mínimo viável é completamente diferente do produto final, brilhante e incrível feito por valores perfeccionistas, e não é o produto que você mostra com prazer aos seus pais e que recebe prêmios em diferentes feiras. Um produto mínimo viável, muitas vezes parece um compromisso inaceitável, um produto inacabado cheio de erros.

O cliente é sua melhor fonte de insights

O produto mínimo viável precisa ser constantemente atualizado com base no feedback dos clientes. A atualização e a iteração do produto mínimo viável e, posteriormente, o produto final nas empresas, seguindo a metodologia de startup enxuta, geralmente ocorrem seguindo a metodologia de implantação contínua.

Se resumirmos qual é o produto mínimo viável, é a versão do produto que permite o máximo de aprendizado sobre os clientes e o mercado com o mínimo de esforço. Ele engloba a menor extensão possível de funcionalidades pelas quais os clientes estão dispostos a pagar.

Nesse caso, a regra é que, se você não estiver nem um pouco envergonhado quando mostrar o produto mínimo viável aos clientes, não terá um produto viável mínimo real.

Como criar um produto mínimo viável?

Agora que você já está por dentro dos conceitos de um MVP, siga esse passo a passo para auxiliar a criação de um produto mínimo viável.

1 – Descubra qual problema está resolvendo e para quem

O primeiro passo para o desenvolvimento de produto viável mínimo e bem-sucedido é avaliar sua ideia de negócio. Comece se perguntando duas coisas para tentar se colocar no lugar do cliente:

  • Por que preciso desse produto? e
  • como isso pode me ajudar?

Responder a essas perguntas ajudará a entender o objetivo principal do seu produto e a encontrar a melhor solução para as necessidades reais dos seus futuros clientes.

Podemos chamar esses “futuros clientes” de  público-alvo. Isto é, o grupo de pessoas que você espera comprar e usar seu produto. Mas por que eles usariam isso? Você precisa encontrar um problema que possa resolver para o seu público-alvo.

A melhor maneira de encontrar um problema que precisa de uma solução é pensar em seus desafios pessoais. Existe alguma coisa que você pessoalmente poderia fazer melhor se você tivesse a ferramenta certa? E, você consegue realmente criar essa ferramenta? Com esta visão você será capaz de procurar problemas em diferentes áreas.

Se, por exemplo, olharmos para trás, como o Uber começou, podemos ver que inicialmente foi um aplicativo para solicitar carros pretos premium em algumas áreas metropolitanas. Apesar do fato de que o significado usual de ‘premium’ ser caro, o Uber não era nada caro.

O seu serviço destinava-se a um segmento de clientes desfavorecido, por ex. pessoas que não podem pagar um carro preto premium de um serviço de táxi tradicional porque é muito caro. Da mesma forma, você pode encontrar seu próprio problema em um segmento específico do mercado e oferecer uma solução.

Imagine que você queira criar um aplicativo que ajudará as pessoas a economizar dinheiro. Poupar dinheiro é uma meta óbvia para muitas pessoas. Quase todo mundo gostaria de um pouco de dinheiro extra em seus bolsos. Para poupar dinheiro, você pode usar cupons e procurar descontos em alimentos, sapatos, presentes e outros bens ou serviços. Esses cupons e descontos podem ser encontrados nos sites de lojas, serviços de entrega, etc.

Mas às vezes as pessoas não têm tempo para procurar em toda a Web esses descontos e, como resultado, pagam mais do que precisam para produtos e serviços. Portanto, você pode desenvolver um aplicativo que ajude as pessoas a pesquisar descontos e cupons de maneira mais fácil e, o que é mais importante, ajuda-os a economizar dinheiro. O objetivo principal deste produto, portanto, seria permitir que os usuários procurassem descontos (para economizar dinheiro) com facilidade.

2 – Analise os competidores

É óbvio que você deve conduzir uma análise concorrente se já houver produtos similares no mercado. Mas, às vezes, os empreendedores ignoram a análise dos concorrentes por causa de uma fé pura na exclusividade de seus produtos. Lembre-se, mesmo que você não considere ter concorrentes diretos, sua fé na exclusividade do seu produto não é motivo suficiente para colocar seu produto com segurança no mercado.

Existem várias ferramentas disponíveis que podem ajudá-lo a investigar sites ou aplicativos de seus concorrentes e obter algumas informações sobre seu tráfego mensal, fontes de tráfego, site ou classificação do aplicativo (global e em um determinado país), localização geográfica dos usuários e outras informações úteis. Tenha em mente que todos esses dados estarão dentro de uma pequena margem de erro.

3 – Defina o fluxo do usuário

Para definir o fluxo do usuário principal, devemos primeiro definir os estágios do processo. Isso é realmente muito fácil, porque tudo o que você precisa fazer é explicar as etapas necessárias para alcançar o objetivo principal de seu produto. Neste ponto, você deve pensar menos sobre recursos específicos e se concentrar mais em tarefas básicas.

Por exemplo, se você está desenvolvendo um app para sua loja de sapatos seus esforços devem se concentrar em funções como: “encontrar sapatos”, “comprar sapatos”, “gerenciar pedidos” e “receber pedidos”. Esses são os tipos de metas que os usuários finais terão quando eles usarem seu produto. Assim que todos os estágios do processo forem definidos, poderemos definir os recursos para cada estágio.

4 – Liste todas as funções e separe-as por prioridade

Assim que você definir todas as etapas que seu cliente deve seguir ao usar seu produto, comece a criar uma lista de recursos específicos para cada estágio. Você pode destacar todos os recursos que acha que são “legais de ter”, mas não estritamente necessários. Quando você tem uma lista de recursos para cada estágio, você precisa priorizá-los. Para priorizar recursos, faça o seguinte:

  • Pergunte a si mesmo: qual é a ação mais importante que desejo que meus usuários realizem? (Nota: esta será a principal característica do app);
  • Pergunte a si mesmo: que outros recursos eu quero oferecer? (Explique por que você precisa de cada um desses recursos e, em seguida, retire os menos importantes.)
  • Agora, categorize todos os recursos restantes nas categorias “deve ter“, “bom ter” e “não é importante“.
  • Depois de ter priorizado todos os recursos, você pode definir o escopo da primeira versão do produto e passar para a criação de um MVP.

5 – Construa, teste e aprenda

Quando o primeiro escopo do trabalho é definido, passamos para o estágio de desenvolvimento. E quando o desenvolvimento do produto está quase concluído, o produto precisa ser testado. A primeira etapa de testes é conduzida por nossos engenheiros de garantia de qualidade, que trabalham para melhorar a qualidade do produto quando ele ainda não foi lançado. Eles garantem que um produto esteja pronto para testes alfa ou beta. Tenha em mente que apenas mudanças cruciais devem ser feitas imediatamente.

Seus usuários são as únicas pessoas que podem definir quais recursos seu produto não possui e quais recursos não são necessários. Depois de coletar o feedback do usuário, você pode começar a melhorar seu produto novamente e, em seguida, testar, aprender, construir novamente, testar novamente e aprender novamente.

Se você está curioso sobre quanto custa o desenvolvimento do MVP, saiba que, na maioria dos casos, o custo para criar um produto depende de muitos fatores. Temos um post que ensina passo a passo de como estimar o custo de um app mvp.

Se já possui o escopo do seu aplicativo e deseja saber um orçamento. Envie-nos uma mensagem na página de contato.


  • Conrado Carneiro
  • Diretor de Negócios
  • Diretor de negócios na Usemobile atua diretamente na criação de produtos: Da ideia ao lançamento. Apaixonado por tecnologia, tem como hobby o estudo de UI/UX mobile. Atleticano por opção! "As pessoas vêem aquilo que elas querem ver"

3 comentários no post “MVP: tudo que você precisa saber para validar sua ideia

  1. Boa noite, quanto ficaria um app MVR tipo o Happn? Sem bate-papo. Enviar notificação quando cruzar a 150 mts da outra pessoa, sem ter que abrir o app como acontece no Happn. Ou seja, em tempo real. Se puder enviar um orçamento aproximado para meu e-mail. Obrigado e parabéns. abc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *