O que é um aplicativo de mobilidade urbana?

Quando o assunto são aplicativos de mobilidade urbana, logo vem à cabeça Uber, 99, Lyft, etc. Mas a verdade é que aplicativos tipo Uber não são os únicos dessa categoria, pois existem diversas outras soluções para mobilidade urbana.

A mobilidade urbana é um problema da modernidade. O ser humano no último século passou por um processo migratório do campo para as grandes cidades. Como isso aconteceu gradativamente — e naquela época não existiam meios de prever como estes movimentos aconteciam — os governos não conseguiram se adequar para suprir os problemas que começaram a surgir.

Nesse artigo iremos abordar quais são os principais problemas de mobilidade urbana, bem como as soluções tecnológicas existentes para cada um deles.

1 – Quais são os problemas existentes de mobilidade urbana?
2 – O que é um aplicativo de mobilidade Urbana?
3 – Tipos de aplicativos de mobilidade urbana
4 – Uma oportunidade de mercado
5 – Como criar um aplicativo de mobilidade Urbana?

Quais são os problemas existentes de mobilidade urbana?

A mobilidade urbana refere-se às condições de deslocamento da população dentro das cidades. O termo é empregado para referir-se ao trânsito de veículos, e também de pedestres, seja através do transporte individual ou transportes coletivos.

De acordo com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e o SPC (Serviço de proteção ao Crédito), o brasileiro leva cerca de 2h50min para ir ao trabalho, fazer consultas médicas, para o lazer ou compras. Esses problemas de deslocamento que criam as oportunidades de inovação através da transformação digital. Como existem espaços que os governos não conseguem atuar, ações individuais como a criação de aplicativos podem melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Este é outro detalhe interessante. Podemos considerar que o uso dos smartphones nessas interações econômicas e sociais ainda está em um estágio de desenvolvimento. Claro que a quantidade de smartphones existentes nas residências já é um número impressionante, sendo que 97% dos brasileiros usam smartphone para se conectar à internet, segundo o App Annie.

Sendo assim, nota-se uma tendência de aumento nesses tipos de negócios a medida que esses processos se tornam algo natural a todas as pessoas.

O que é um aplicativo de mobilidade Urbana?

O conceito é bem simples: qualquer aplicativo que facilite sair do ponto A para chegar no ponto B pode ser considerado uma solução para mobilidade urbana. Isso mostra o quão ampla são as possibilidades para a transformação digital neste segmento.

Segundo o professor da FGV, André Miceli, cerca de 20 milhões de brasileiros usam algum aplicativo de mobilidade urbana. Ele ainda destaca que os erros cometidos pela Uber podem ampliar ainda mais esse mercado: “os jovens foram os primeiros a baixar. Agora os pais já estão usando, e novos usuários devem surgir. O mesmo acontece com as cidades: primeiro os aplicativos surgiram nas capitais, e agora as menores ”.

Quais são os impactos desses aplicativos?

No início do século 21, acreditou-se que a internet seria a solução para os crescentes problemas de mobilidade urbana. Os especialistas pensavam que, em um mundo conectado, a mobilidade se tornaria desnecessária. O que realmente aconteceu foi: a internet serviu como um canal para influenciadores e isso trouxe ao público o desejo de se locomover — quando um influencer visita um restaurante incrível, seus seguidores também irão querer conhecer-lo. 

Assim, as pessoas recorreram aos transportes público, mas este não conseguiu atender as demandas da população. Os surgimento dos aplicativos de mobilidade urbana coincidem com início da perda de passageiros dos transportes públicos — em meados de 2010. Já no Brasil, segundo dados da NTU (Associação Nacional das Empresas de transportes Urbanos), em 2014, a diminuição da demanda de usuários pagantes atingiu cerca de 26% na média acumulada. 

O sucesso das soluções para transporte individual (Uber e afins) foi além para além dos carros. As bicicletas e patinetes elétricos ganharam seu espaço, trazendo consigo um novo conceito de micromobilidade.

Tipos de aplicativos de mobilidade urbana

Abaixo alguns dos principais exemplos de aplicativos de mobilidade.

Aplicativos tipo Uber

Estes são, certamente, os aplicativos mais conhecidos pelo público geral. Um aplicativo semelhante ao Uber é uma solução para mobilidade, pois ele conecta passageiros a motoristas. Inicialmente a ideia do Uber era criar uma nova forma de renda extra para as pessoas que possuem um carro. Á medida que o sucesso foi crescendo, ser um motorista da Uber deixou de ser apenas um extra, e sim uma nova profissão.

Exemplos de aplicativos tipo Uber:

  • 99
  • Easy Taxi
  • Lyft

Aplicativos de compras e entregas

Você deve estar se perguntando “compras e entregas são problemas de mobilidade urbana?”. A resposta curta é: sim. O deslocamento das residências até os centros comerciais da cidade é uma dificuldade de muitas pessoas. O problema discutido aqui não é o transtorno de ter um pedido do iFood atrasado, mas sim toda uma logística de distribuição de produtos e itens.

Pensando neste problema, foram criados aplicativos os quais você pode fazer qualquer tipo de compra através de um smartphone. Além disso, receber tudo na sua residência poupa o trabalho de se deslocar até as lojas, e ao mesmo tempo diminui filas em supermercados, restaurantes, etc. 

Exemplos de aplicativos de entrega:

  • iFood
  • Rappi
  • Loggi

Aplicativos de micromobilidade – “Uber para bicicletas”

Este é, sem dúvida, o tipo mais diferente de todos. Além do uso de um smartphone, ele necessita de um hardware para cada bicicleta ou patinetes. O “Uber para bicicletas” é um aplicativo de mobilidade que possui seu foco nos pedestres.

Por exemplo, uma pessoa vai de carro para o trabalho. Ao chegar lá, ela descobre que precisa enviar alguns documentos pelo correio ㅡ que fica a apenas algumas quadras. Apesar de perto, ir a pé pode ser demorado, ao mesmo tempo existe o risco de perder a vaga do carro dificilmente conquistada. A solução: uma bicicleta elétrica.

Ademais, esses tipos de aplicativos abrangem outro problema: a sustentabilidade ambiental. Esses veículos alternativos ajudam a diminuir as emissões de gases nocivos, se tratando de soluções que estão equiparadas e atentas aos temas que envolvem a preservação do planeta.

Exemplos de aplicativos para aluguel de bicicletas e patinetes:

  • Yellow
  • Grin Scooters
  • Bike Itaú

Aplicativos de carona

Muitas pessoas confundem estes aplicativos com os ‘Tipo Uber’. Ainda que o Uber —  e outros aplicativos similares — possua uma opção de corrida compartilhada, seu objetivo é fornecer motoristas particulares. Já os aplicativos de carona são especificamente para compartilhar uma viagem, seja ela dentro da cidades ou em rotas intermunicipais.

Exemplos de aplicativos de carona:

  • Waze Carpool
  • BlaBlaCar
  • Zumpy

Aplicativos de navegação

Encontrar a melhor rota, saber onde e quando passa um ônibus. Esses são os propósitos do aplicativos de navegação, pois eles te ajudam a sair do ponto A e chegar ao ponto B sem complicações ou surpresas.

Exemplos de aplicativos de navegação:

  • Google Maps
  • Moovit
  • Citymapper

Eles já dominaram os grandes centros, mas as pequenas cidades não!

Hoje, praticamente todos os grandes centros sofrem com problemas de mobilidade. Exatamente por esse motivo — e pela praticidade que soluções tecnológicas de mobilidade oferecem — que as pessoas de todo o país querem esse serviço em suas cidades. 

Vantagens em criar um serviço de mobilidade em cidades pequenas:

  • Conhecer o público – Aplicativos feitos para uma região específica podem ganhar muito com suas campanhas de marketing focadas em um público que conhecem bem, pois são seus conterrâneos;
  • Ser uma novidade – Cada vez mais vemos a expansão desses serviços, entretanto existem muitas regiões que não foram contempladas. Por isso, começar um serviço desse tipo pode se beneficiar da novidade;
  • Pouca ou nenhuma competição – Como dito acima, provavelmente, seu aplicativo será uma novidade em sua região. E, até surgir algum competidor, você já terá dominado uma boa fatia do mercado.

Como criar um aplicativo de mobilidade Urbana?

Independentemente do tipo do seu aplicativo, ele irá, sem dúvida, seguir alguns passos em comum. Além disso, todos eles compartilham em seu cerne tecnologias semelhantes. 

Principais tecnologias de um aplicativo de mobilidade urbana:

  • Geolocalização – Permite identificar a localização do usuário, facilitando a tomada de ação dele, seja pedir um lanche ou pegar uma carona;
  • Notificações push – Enviam informações fundamentais aos usuários, como detalhes do motorista e do veículo ou horário de chegada da carona;
  • Pagamentos in-app – Integração dos meios de pagamento;

O desenvolvimento de um aplicativo não é uma tarefa fácil, mas pode se tornar menos árdua caso você encontre o parceiro certo para desenvolver.


  • Marketeam
  • Equipe de Marketing
  • Ninguém jamais deveria levar o crédito pelo trabalho de outras pessoas! Certos artigos aqui na Usemobile são criados de forma tão colaborativa que é impossível atribuir-lo a uma só pessoa. Por isso, este artigo é do time que joga na linha de frente, o Marketeam.

2 comentários no post “O que é um aplicativo de mobilidade urbana?

  1. Pingback: Andre L. Miceli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *