O que é outsourcing de TI? Entenda tudo sobre a terceirização

Sem dúvidas, o cenário do mercado, e até mesmo das relações interpessoais, tem se alterado com o uso de recursos tecnológicos. À medida que a programação e desenvolvimento da Tecnologia da Informação avança, as empresas sentem cada vez mais necessidade de se adaptarem para correr atrás da disrupção e, consequentemente, continuidade no mercado. Em função disso, o outsourcing de TI tem sido uma solução bem aclamada já no exterior, embora ainda tímida no território nacional.

A popularidade positiva do Outsourcing de TI se dá pela diversidade de serviços que ela abraça. Importante ressaltar que este modelo avançou 16,5% desde 2010 até 2018. Simultaneamente, o TI in house recuou 17,5% neste mesmo período, segundo divulgado pela Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação). Continue lendo e entenda tudo sobre outsourcing de TI e porque ele tem crescido no Brasil!

Você vai ver:

O que é outsourcing de TI?

O conceito do Outsourcing de TI é relacionado à terceirização para serviços ligados à Tecnologia da Informação. Isto é, contratação de outras empresas para elaborarem desde infraestrutura como instalação de dispositivos de rede até o desenvolvimento softwares de suas contratantes, sejam eles corporativos, web ou aplicativos.

No entanto, essa terceirização não significa que a empresa contratada ficará alocada na sede da contratante, uma vez que o desenvolvimento de softwares não requer atividades presenciais, podendo trabalhar remotamente, como veremos a seguir.

Por que usar o outsourcing de TI?

A expectativa para 2020 é um investimento de 4 trilhões de dólares em TI, especialmente o desenvolvimento de softwares corporativos — e nada impede que eles sejam para dispositivos móveis. Além disso, vale a pena ressaltar que também é esperada a chegada da tecnologia 5G. Portanto, o uso de smartphones e outros dispositivos se torne ainda mais intenso e necessário com uma internet capaz de baixar um filme de alta qualidade em apenas 12 segundos.

As possibilidades a partir do 5G são inúmeras e ainda inimagináveis, logo, investir para usufruir dela é sinônimo de inovação e disrupção nos negócios. Ou seja, significa rentabilidade. No entanto, como veremos adiante, a contratação de um time interno de TI requer uma fatia maior do budget em comparação com o outsourcing de TI.

Além disso, manter o próprio time requer que ele e você estejam atentos às tendências e desenvolvimentos tecnológicos, fator que pode atrasar os seus negócios, visto que muitas demandas podem surgir no meio do caminho. Assim, as empresas de outsourcing de TI ficam responsáveis por este papel de se manter atualizadas e garantir tecnologias de ponta e adequação às normatizações de segurança.

Outro ponto a ser levado em consideração é que a busca por profissionais de TI é quase uma caça ao tesouro, pois o número de servidores da área está em déficit, visto que há uma demanda de 70 mil profissionais por ano, enquanto que o Brasil forma apenas 46 mil, segundo a Brasscom. Portanto, o outsourcing de TI também é uma estratégia para driblar a necessidade de qualificação.

As principais vantagens do outsourcing de TI

Como já mencionado, o outsourcing de TI já tem espaço no mercado internacional, se tratando de uma solução popular. Isso só é possível quando esse tipo de contrato oferece mais vantagens do que a contratação de um time próprio para trabalhar dentro da empresa. Vamos conhecer esses motivos e entender as vantagens do outsourcing de TI:

Baixo custo

O outsourcing de TI dispensa a procura por talentos, os processos seletivos e demais burocracias que a contratação de um time próprio implica. Portanto, há uma redução considerável nos custos. Afinal, a média salarial de um profissional da área é de 10 mil reais. Indo além, contratar uma empresa terceirizada também reduz, ou dispensa, o gasto com equipamentos e infraestrutura necessária para a equipe.

Você pode entender melhor sobre essa vantagem e demais outras com a indicação de leitura abaixo!

Leia também: Vale a pena fazer outsourcing de TI? Entenda como a TI impactou positivamente os negócios do Magazine Luiza

Os melhores experts

Acabamos de ver os diferentes tipos de outsourcing de TI e que é possível contratar um uma empresa de qualquer parte do globo. Logo, aquele profissional que tem todo o know-how necessário, e que está distante do seu negócio, é acessível através desse tipo de contratação terceirizada.

Afinal, alguns casos de atuação do outsourcing de TI podem ser desempenhados remotamente, principalmente as áreas de consultoria, desenvolvimento de software e de aplicativos. Além disso, a escalabilidade é viável, visto que não é necessário perder tempo com a contratação de um time próprio para TI e/ou treinamento deles.

Agilidade nos processos

Todas as equipes de tecnologia da informação possuem metodologias de trabalho. Algumas delas são derivadas do manifesto ágil, as quais rompem com métodos tradicionais e ineficientes.

O scrum se destaca neste meio, sendo bastante popular entre os times de desenvolvimento, por exemplo. O objetivo é entregar o produto final em poucas semanas através dos sprints.

Sem interferência no Core Business

O campo estratégico das organizações é dotado de atividades. Inclusive, são os C-levels os profissionais que mais se dedicam as suas organizações, grupo que dedica cerca de 9,7 horas semanais no trabalho, segundo estudo de Harvard. Finais de semana não são exceção, ainda que se dediquem um pouco menos que os dias normais: 3,9 horas.

Deste estudo, 89% do tempo os CEOs passam resolvendo crises. Portanto, essa categoria não tem tempo a perder e precisa deslocar a atenção e energias em outros setores. É aqui que o outsourcing de TI age, uma vez que ele toma conta de toda a demanda necessária sem exigir muito tempo do contratante.

Dessa forma, os C-levels e os diretores podem se dedicar exclusivamente aos assuntos que realmente interessam, abrindo janelas de tempo para as estratégias para o negócio e de inovação.

Inovação e disrupção

Ainda que usemos a expressão “gasto” para referir às despesas com TI, é importante entender que o valor negativo por trás de “gasto” não corresponde ao sentido do outsourcing, e nem da tecnologia da informação. A expressão mais correta é “investimento”. Isso porque incrementar a TI nos negócios vai além das necessidades do negócio.

A rentabilidade de muitas empresas, especialmente as startups, partem da criação de ferramentas ou desenvolvimento de ideias novas e que trazem mudanças e impactos significativos nas nossas várias formas de relacionar. A Uber, por exemplo, alterou o relacionamento com o transporte público; a IBM com o comércio a partir da invenção do código de barras; a Microsoft e Apple com os computadores; etc. Imaginar as atividades da humanidade sem essas invenções é praticamente impossível, pois já estão enraizadas nas diferentes relações.

Em suma, o outsourcing de TI pode ser a alternativa ideal para alcançar tamanha disrupção e inovação como as empresas citadas. Logo, mantenha os olhos nas tendências da transformação digital.

Personalização e flexibilidade

Obviamente, a empresa de outsourcing de TI será a responsável por fazer uma atividade ou serviço por você. Logo, você precisa encontrar aquela que se encaixa nos seus objetivos e que esteja disposta a atender às demandas. No entanto, existem algumas soluções que já vem prontas, bem como nos tipos de contrato de outsourcing de escopo fechado. Isto é, o produto já é previamente definido e você apenas contrata esse serviço pré-determinado.

Porém, antes de fechar de fato o SLA, existe o momento de negociação para fechar todos os níveis de serviço. Contudo, o escopo fechado não é a única forma de contrato. Há também o escopo aberto, o qual possibilita alterações ao longo do desenvolvimento do projeto ou serviço, adequando-se sempre as demandas prioritárias que vão surgindo pelo caminho.

Essa flexibilidade pode ser o ponto-chave para dar conta de urgências e ou novas ideias que podem surgir.

Tecnologia de ponta e cibersegurança

Todos os anos novas tecnologias surgem ou recebem upgrades de grande relevância. À medida que elas chegam até nós, mais mudanças são implementadas nos cotidianos e nos meios corporativos. Assim, estar à par de todas as tecnologias é fundamental para que qualquer negócio se mantenha na linha da disrupção e inovação — e atualizados.

Todo esse desenvolvimento tem sido fomentado pela transformação digital, em especial as inteligências artificiais. O poder de influência das IAs é tão forte que a Tesla tem feito uma forte campanha para atrair profissionais da área. Ao mesmo tempo, a LG já apresentou seus novos recursos de IA combinado com assistentes virtuais na CES 2020.

Sem dúvidas, esse tipo de tecnologia é o que valoriza um negócio no mercado. Nessa perspectiva, o outsourcing de TI será um grande aliado para deixar seu negócio sempre preparado para receber e aplicar as tecnologias de ponta.

Além disso, toda tecnologia deve ser desenvolvida com base em normas e padrões, bem como a LGPD. Assim, a empresa terceirizada irá garantir que tudo esteja nos conformes sem você precisar se preocupar, garantindo a cibersegurança. Afinal, todos os dados devem estar protegidos.

Não requer conhecimentos técnicos

O outsourcing de TI vem exatamente para suprir uma necessidade e um conhecimento, ou habilidade, técnico não existente. Logo, terceirizar um serviço de TI implica que essa empresa será responsável por todo o processo, desde a gestão até a entrega do produto final.

Ou seja, não é necessário que você ou outra pessoa fique responsável por gerir a empresa de outsourcing. A menos que isso faça sentido no tipo de contrato realizado entre você e a empresa. No caso de times dedicados, a empresa contratante (ou seja, você) terá um profissional por conta de levantar todas as demandas técnicas para passar para a equipe terceirizada que está de prontidão.

Ainda assim, toda a gestão da equipe não é de responsabilidade da contratada. Ou seja, as únicas responsabilidades de quem contrata é fornecer todas as informações imprescindíveis, demandar e esperar pelos bons resultados.

Desvantagens do outsourcing de TI

Risco para as informações

O acesso à certas informações corporativas requerem grau de hierarquia como pré-requisito. Isto é, alguns dados pertencem somente ao campo dos C-levels e gerentes e assim por diante. Elas não ficam restritas sem motivo. No entanto, parte delas terão que deixar de ser segredo para a empresa de outsourcing de TI, o que pode oferecer grande risco para o seu negócio.

Dessa forma, a empresa escolhida deve garantir que de fato está comprometida com a segurança das suas informações e demais normas que possam as resguardar. Além disso, existem casos em que os dados são de terceiros (usuários, por exemplo), bem como em casos de aplicativos que requerem cadastros.

Desconhecimento do seu ramo de negócio

Contratar uma empresa de outsourcing de TI é terceirizar as habilidades e conhecimento delas, correto?. Isso não significa que essa empresa tem conhecimentos específicos sobre a área do seu negócio, o que pode ser um fator desgastante. Porém, esse desconhecimento não deve ser encarado necessariamente como uma desvantagem, pois a contratação exigirá a troca de conhecimentos entre ambas as partes envolvidas.

Além disso, tudo aquilo que for necessário para a prestação de serviço da terceirizada deve partir de você. Afinal, num time in house ou terceirizado, esse compartilhamento de informações também deve existir.

Comunicação pode se prejudicar

Passada a demanda para a empresa de outsourcing, todo o serviço será por conta dela, certo? Portanto, nem todas as informações passarão por você. Contudo, isso também não significa que se trata de uma desvantagem, pois algumas atividades são de responsabilidade da terceirizada. Afinal, à contratante cabe somente o repasse das informações necessárias, excluindo quaisquer preocupações com o andar das atividades, como já mencionado nas vantagens do outsourcing de TI.

Portanto, é imprescindível que exista um grau de comunicação. O acompanhamento não precisa ser intenso numa lógica de “dia após dias”, pois isso é com o gestor do time de outsourcing — inclusive a documentação dos processos. Contudo, o repasse das evoluções é importante para você se sentir seguro acerca do que foi contratado.

Além disso, como também já mencionado, existe o contrato de escopo aberto. Neste caso, a comunicação deve ser mais frequente, pois esse tipo de contrato de outsourcing permite alterações inesperadas no projeto ao longo do desenvolvimento.

Quais os tipos de outsourcing de TI?

A terceirização pode acontecer de diversas formas, abrindo espaço para buscar empresas em quaisquer países. Este fator está em consonância com o benefício de quebrar as barreiras geográficas para contratação de talentos que sejam pertinentes para o sucesso do seu negócio.

Contudo, algumas outras barreiras podem surgir a depender da localidade da sua equipe remota. O grau de proximidade é o que dita os tipos de outsourcing de TI: onshore, nearshore e offshore. Vamos conhecer cada um deles:

Onshore

A contratação dentro do próprio país se caracteriza como onshore. Tendo em vista que as barreiras linguísticas e monetárias são praticamente inexistentes ou que apresentam poucos malefícios, a gestão da equipe remota se dá de forma mais prática. Afinal, a comunicação e interação entre ambas as empresas será facilitada pelas poucas ou nenhuma barreira. Você pode conferir dicas de gestão de times no tópico correspondente.

Nearshore

Por sua vez, o nearshore é quando a empresa contratada está fora do país. No entanto, as barreiras são amenas, pois este tipo de outsourcing de TI visa fusos horários semelhantes ou próximos — o mesmo vale para as línguas.

Vale ressaltar que pode haver barreira quanto as moedas utilizadas entre ambos os países.

Offshore

Enquanto o onshore e nearshore visam empresas de localidades próximas, o offshore contempla grandes diferenças entre as envolvidas no outsourcing de TI. Isto é, a empresa contratada pode ser até mesmo de outro continente. Segundo a empresa consultora Kearney, o Brasil ocupa o 9º lugar dos países para offshoring, enquanto que a Índia está em primeiro lugar, visto que a região atende aproximadamente 80 países.

Outstaffing

O outstaffing é e não é um tipo de outsourcing. Também se trata de um modelo de outsourcing de TI, porém não é uma empresa que será terceirizada e sim a mão-de-obra. Ou seja, adotar este modelo significa contratar um funcionário de uma outra empresa para participar do seu time in house, cabendo a você o gerenciamento desse colaborador terceiro.

Num outro artigo eu comparei ambos os tipos de terceirização, outsourcing e outsfatting, levantando os benefícios e desvantagens de cada um, seus preços e qual modelo escolher. Confira.

Como contratar outsourcing de TI?

Como visto acima, existem muitas áreas pelas quais o outsourcing de TI perpassa. São muitas as possibilidades de contratação e benefícios em cada uma delas. Além disso, as corporações estão caminhando para uma mudança no plano de negócios, embora gradual, como visto no gráfico abaixo. Portanto, a transformação se dá de forma incremental.

As empresas preferem se digitalizar aos poucos, permitindo que a adaptação seja mais tranquila em termos de aprendizagem e até mesmo gastos. Dessa forma, a empresa do outsourcing de TI deve ser versátil, de modo que se adapte e personalize as necessidades do seu negócio.

Se o contrato for rígido e com muitas restrições, talvez seja o caso de repensar e buscar por outra. Isso porque as exigências podem diminuir a velocidade, o que vai na contramão dos propósitos do outsourcing de TI, visto que é uma ferramenta para otimização.

Cheque também se a empresa terceirizada se adequa às projeções do seu negócio, atendendo as necessidades de curto, médio e longo prazo. É fundamental também que ela esteja atenta a documentação de cada etapa, permitindo o monitoramento e avaliação dos processos.

Outros questionamentos importantes:

  • Qual a competência técnica da empresa?
  • O portfólio deles é bom?
  • Como os clientes dela a avaliam?
  • Ela realmente entende as dores do meu negócio?
  • Essa empresa está regulamentada e adaptada a LGPD?

Existem muitas considerações a serem feitas na hora de terceirizar o TI, cada área com suas especificidades. Assim, cabe ao contratante saber as suas necessidades e elaborar os planos necessários antes de contratar uma empresa terceirizada.

O que o outsourcing de TI pode fazer?

A Tecnologia da Informação é bastante ampla. A abrangência da área já é óbvia para para os devs, chefes e heads de inovação. No entanto, as possibilidades que estão na alta nem sempre podem ser claras para os principais interessados na área.

De acordo com a Gartner, o desenvolvimento de softwares corporativos é tendência para 2020. Ainda segundo a empresa de consultoria, espera-se gastos de 3,9 trilhões de dólares com TI somente este ano, um aumento de 3,4% em relação ao ano passado. Isso significa um enorme passo das empresas globais atrás da transformação digital — inevitável para as relações interpessoais e organizacionais à medida que a tecnologia avança.

No entanto, existem muitos processos até alcançar todas as adaptações digitais, seja digitalizando as mídias, digitizando o plano de negócio, integrando as informações empresariais numa só plataforma, entre outros. Contudo, ainda que pareça muitas coisas — o que de fato é —, o outsourcing de TI é abrangente o suficiente para dar conta dessas demandas. Suas áreas são:

Desenvolvimento de software

A melhoria e facilidade no gerenciamento é o que cerne o uso da TI nos meios corporativos. Visto que muitas informações são registradas, desde o horário de entrada dos colaboradores até a receita empresarial. Portanto, sistemas que aumentam o controle e acesso a esses dados é interessante para os C-levels, visto que softwares centralizam suas atividades.

Nessa lógica, o outsourcing de TI pode servir para o desenvolvimento desses softwares centralizadores, bem como outros que possam ter usos pontuais, como registro de ponto ou banco de currículo, por exemplo.

Desenvolvimento de aplicativos

Os aplicativos estão na mesma lógica do desenvolvimento de softwares. Afinal, a diferença dos apps para os softwares está meramente no dispositivo ao qual eles rodam. Ou seja, um aplicativo é um software.

Vale a pena ressaltar que a tendência mundial da evolução do trabalho está intimamente ligada com o uso de dispositivos móveis. De acordo com o ADP Research Institute, existem 19 tendências, as quais incluem que “os funcionários poderão trabalhar remotamente de qualquer lugar do mundo” e que “farão todo o trabalho usando um dispositivo móvel”, fazendo com que eles definam “o próprio cronograma de trabalho de acordo com o que for conveniente e eficaz para eles”.

Além disso, as mídias sociais são cotadas para serem a principais plataformas de colaboração de trabalho. Portanto, o desenvolvimento de aplicativos é uma área do TI em alta e que só tende a crescer.

ERP

Embora o Enterprise Resource Planning também seja software, este está na categoria dos corporativos, pois sua função visa o planejamento e gestão dos recursos empresariais. Através dos ERPs é possível controlar as vendas, folhas de pagamento, emitir notas fiscais eletrônicas, gerir equipes e clientes e outros.

Portanto, este modelo de software corporativo visa a integração de sistemas numa única plataforma, otimizando visualização macro e micro da empresa de forma que auxilie em tomadas de decisões assertivas e acesso às informações.

Consultoria

Todas as novidades exigem uma espécie de estudo ou conhecimento acerca daquilo. O mesmo se aplica em situações as quais as empresas implementam novos serviços, mas precisam de orientação de outros profissionais para que o uso da nova ferramenta seja efetivo. Ou então, situações de treinamento para que novas pessoas se habilitem nele.

Ademais, a consultoria de TI também serve para fazer diagnóstico e levantar prognósticos acerca de um assunto. Pode ser para identificar falhas em um software ou na instalação de infraestruturas como na rede de conexão.

Banco de dados

A transformação digital visa a integração de todos os sistemas, o qual controlar a refrigeração da geladeira através do smartphone não é inimaginável, por exemplo. Afinal, já é possível usar os celulares como controle remoto de televisão e ar condicionado.

Toda essa integração, especialmente em caso de softwares corporativos, exige que os dados estejam armazenados em um banco (ou vários) para consulta dos dispositivos e seus operadores. No entanto, a instalação desse banco de dados requer muitos cuidados, seja para uma integração correta ou para a segurança das informações, o que pode colocar empresas e pessoas em risco a depender da informação.

Infraestrutura

A segurança do banco de dados, como mencionado acima, é imprescindível para o uso de armazenamento em nuvem e a integração dos sistemas. Uma infraestrutura bem instalada é o que vai garantir a eficiência da proteção dessas informações. Essa área de outsourcing de TI está em consonância com as demais outras áreas, bem como as consultorias, desenvolvimento de software e banco de dados, por exemplo. Isto é, todas as demais áreas precisam de infraestrutura para se sustentarem.

Outros

Como já bastante ressaltado, a TI é bastante abrangente. Grosso modo, sua essência está em saber resolver problemas com eficácia, o que abre margem para muitas oportunidades. Além disso, a transformação digital irá criar profissões e áreas que ainda não nos são palpáveis, o que significa que muitas outras áreas de outsourcing de TI irão surgir à medida que os desenvolvimentos tecnológicos avançam.

Os desafios que o outsourcing de TI enfrenta

Para que o outsourcing de TI continue sendo uma opção interessante, as empresas que prestam esse tipo de serviço precisa se manter em constante atualização para que continuem valendo a pena.

Ou seja, as mudanças da transformação digital também atinge as empresas de outsourcing de TI. Portanto elas devem estar atentas ao que surge como tendência, estando sempre adaptadas ou um passo à frente na previsão das tendências.

Além disso, o desafio da caça aos talentos experts também é um problema enfrentados por essas empresas. A maioria dos seus colaboradores são voltados para a área, a qual possui um número escasso de profissionais. Segundo a Brasscom, o Brasil forma 43 mil novos profissionais de TI. O que representa um déficit, pois cerca de 70 mil novos profissionais são demandados ao ano, como destacado anteriormente.

Outro ponto de destaque é a proteção de dados. Na Europa já é vigente a GPDR, lei que regulamenta os dados dos cidadãos. O Brasil já tem uma lei reguladora que entrará em vigência em agosto de 2020, a LGPD. Portanto, as empresas de outsourcing de TI precisam se adequar às normas e blindar os dados contra possíveis ataques e vazamentos.

Como gerenciar uma equipe de outsourcing de TI?

Como já mencionado, há tipos de contrato de outsourcing de TI que permitem uma comunicação maior com a empresa terceirizada. Portanto, este tópico serve para você que quer ser essa aproximação ou para gestores ou futuros gestores de uma equipe de outsourcing.

A gestão de uma equipe remota exige habilidades de liderança, perspicácia e conhecimento de equipe. É importante que o gestor esteja por dentro de metodologias de fluxo de trabalho para as equipes de TI, colocando-se em sincronia com os colaboradores e facilitando as atividades, seja oferecendo ajuda ou compartilhando todas as informações pertinentes para o projeto.

O método produção e desenvolvimento deve estar claro antes mesmo da assinatura do contrato, explanando se será uma metodologia ágil ou tradicional. No entanto, nada interfere que haja mudanças de metodologias ao longo do processo, passando do scrum para o kanban, por exemplo, no caso de desenvolvimento de software ou aplicativos. O importante é que a metodologia seja adequada para atender às demandas do projeto.

Além disso, o gestor do time deve estabelecer métricas para saber avaliar a performance do time, seja para propor novas soluções, bater metas ou elaborar um backlog que se encaixe ao time.

Outras dicas de gerenciamento de equipes de outsourcing de TI podem ser conferidas aqui.

Conclusão

O outsourcing de TI vem como uma proposta de solucionar os problemas de captação de talentos e redução de custos em TI, dentre outros benefícios que podem variar de acordo com o país e região a qual a empresa terceirizada está alocada. Isso significa que alguns trabalhos podem ser realizados de forma remota, o que reduz gastos inclusive de infraestrutura como equipamentos e ajuda a colocar os melhores talentos a favor do seu negócio.

No entanto, é importante ter em mente que a responsabilidade tanto de você contratante como da empresa contratada para que o relacionamento seja um sucesso e traga os frutos esperados.

O que você acha sobre o assunto? Conta para a gente nos comentários!


  • Taysa Bocard
  • Analista de marketing
  • O interesse pela tecnologia e desejo por conhecimentos variados sempre fizeram parte de mim, isso desde a infância. Esse desejo pueril refletiu no meu cotidiano: sou jornalista engajada nas "techs". Porém, a busca pelos saberes não é a parte mais gratificante da minha atuação. Na verdade, o que mais me empolga é passar as informações para frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *