Os principais erros cometidos pela Uber

Tags:    

O Uber é o aplicativo de mobilidade urbana mais utilizado do mundo. A empresa opera em mais de 100 municípios no Brasil e em 60 países no mundo. Mas, apesar de seu gigantesco alcance, a companhia esteve envolvida em diversas polêmicas em seus 10 anos de operação.

O Estado de Minas divulgou um estudo que mostra porque a qualidade do serviço da Uber despencou. Resolvemos aprofundar nesse assunto e levantamos outros erros cometido pela Uber que não foram abordados no estudo.

O resultado é surpreendente!

Embora seja o principal player do mercado, existe uma lacuna no mercado que a própria Uber está criando, e a explicação é simples:

Foram disruptivos e criaram a demanda e agora não estão suprindo!

1 – Falta de antecedentes criminais e treinamento dos motoristas

Como todo negócio que cresce de forma escalar, um grande desafio é crescer mantendo a mesma qualidade. E esse foi um dos primeiros erros cometidos pela Uber em diversas cidades do mundo.

Em setembro do ano passado, a Uber foi banida de operar em Londres, não tendo sua licença renovada.

uber-banida-em-londres

Segundo o órgão regulador de transportes da capital britânica, a Uber  está inapta para administrar um serviço de táxi e decidiu não renovar sua licença, citando a abordagem da empresa para reportar várias ofensas criminais e verificação de antecedentes de motoristas.

2 – Erro de cálculo das porcentagens de pagamentos

Em maio do ano passado, a Uber foi acusada de pagar porcentagens menores aos motoristas que atuavam em Nova Iorque. O caso abalou a relação entre motoristas e a empresa, causando um mal estar durante algum tempo.

Em resumo, o problema ocorreu porque a taxa aplicada em Nova Iorque era de 25% para viagens de UberX. Entretanto, um de seus termos de serviço afirmava que o cálculo das comissões era baseado em sua tarifa líquida – ou seja, o valor pago pelo passageiro menos outras taxas de venda.

Como resultado, a Uber ganhava em torno de 2,6% a mais do que deveria de seus condutores nova-iorquinos. A empresa se manifestou afirmando que devolveria os valores a seus motoristas da cidade. Junto disso, a empresa prometeu incluir juros anuais de 9%.

3 – Má gestão, fundador envolvido em uma série de polêmicas

O fundador e primeiro CEO da Uber, Travis Kalanick, chegou a ser afastado por causa de acusações de adoção de políticas negativas em sua gestão de recursos humanos e práticas machistas. A situação se agravou em fevereiro quando a engenheira Susan Fowler, ex-funcionária da companhia, denunciou um caso de assédio sexual causado por Kalanick.

Para complementar, o então CEO e usuário do serviço, se envolveu em uma discussão com um motorista da UberBlack. O motorista de uma das viagens realizadas por Travis, sabendo do passageiro que estava carregando aproveitou para reivindicar os valores e taxas cobrados. A reivindicação virou uma briga, que filmada, viralizou rapidamente na internet.

4 – Desonestidade: Google vs Uber

Por essa, muitos não esperavam! Mas a Uber tem praticado concorrência desleal, em áreas que até mesmo não atua. A Alphabet, dona da Google, está processando a Uber por roubo de segredos corporativos, alegando que um de seus principais engenheiros do carro autônomo acessou milhares de arquivos confidenciais e vendeu essas informações para a Uber.

5 – Desonestidade: Apple vs Uber

Recentemente mais um dos erros cometidos pela Uber deu o que falar. Dessa vez, foi com a Apple:

Segundo o New York Times o que o Uber tentou fazer foi implementar uma maneira de identificar individualmente cada iPhone, para descobrir se o aparelho tinha o aplicativo instalado, e até mesmo se ele já tinha sido apagado anteriormente dele. Era quase uma impressão digital para identificar indivíduos, algo que a Apple proíbe há tempos para proteger a privacidade dos usuários.”

Sabendo que o sistema de avaliação de aplicativos da Apple não aprovaria esse recurso, eles resolveram dar um “jeitinho”: implementaram um código que criava uma “cerca geográfica“, possibilitando com que a nova funcionalidade ficasse escondida quando o aplicativo fosse usado na área próxima ao campus da Apple, onde os apps eram analisados e aprovados. Com isso (na teoria), a Apple nunca saberia que o aplicativo rastreava os usuários.

Em uma das várias avaliações que a Apple realiza, esse teste foi realizado fora do campus principal, e a função foi rapidamente identificada. O caso deu o que falar e o CEO da Uber foi convidado para bater um papo com Tim Cook (CEO da Apple) e por pouco o aplicativo não foi banido da AppStore.

6 – Sucateamento da frota

Dos problemas listados, talvez seja previsível, porém de fácil solução. É comum ver na lista de reclamações dos usuários mais frequentes que a frota de carros da Uber está sucateada. O padrão de qualidade adotado no inicio não foi mantido e os carros estão deixando cada vez mais a desejar.

Manter uma vistoria regular e limitar alguns modelos e anos de carro seria uma atitude esperada, para evitar, ao menos, problemas como estes.

7 – Uber Pool: benefício para quem?

A ideia do Uber Pool no papel é fantástica. Na prática ela é abominada por motoristas e passageiros. Assim que foi lançada no Brasil, a modalidade Uber Pool foi rapidamente aderida por diversos usuários que queriam experimentar um meio de transporte ainda mais barato, acontece que a insatisfação rapidamente tomou o lugar da curiosidade. Para os motoristas, o modelo de tarifas aplicados na categoria Pool chega a ser desleal.

O motorista recebe o preço cheio apenas do primeiro passageiro do trajeto, os demais que “entram no meio da corrida” rendem ao motorista uma pequena quantia, que não justifica o estresse e atenção necessária para gerenciar o aplicativo, dirigir, preocupar-se com o trânsito e claro o embarque e desembarque constante.

Pro passageiro, não é diferente. Você “entrar” numa corrida e não ter uma estimativa de tempo que ela pode levar, torna a corrida uma roleta russa que pode lhe custar muito barato ou muito caro.

Tenho conhecidos que optam pelo Pool, em situações que não possuem hora para chegar no destino e o objetivo é: Fazer networking e economizar uma grana.

Há relatos inclusive, de pessoas que foram assaltadas dentro do Uber Pool.

Será que manter a categoria Pool é mais um dos erros cometidos pela Uber?

8 – Uber adota campanha sexista

Recentemente a Uber esteve ligada a uma polêmica ligada ao machismo – a empresa já possui um histórico de tratamentos machistas internamente e em algumas de suas propagandas. Em um desses casos, a Uber fez uma campanha em Lyon, na França, um promoção para juntar os usuários do aplicativo com “motoristas gostosas”. Após a repercussão negativa, a empresa suspendeu imediatamente a propagando do seus canais de comunicação.

Além disso, a Uber Eats também lançou uma promoção no dia das esposas, desta vez na Índia, que convidava as mulheres a se afastarem do fogão. A propaganda, reforçava que o lugar ideal da mulher é na cozinha, logicamente este anúncio não foi bem aceito pelos usuários.

E agora?

Fica muito claro, que o modelo de economia compartilhada proposto pela Uber é algo altamente rentável e com uma base de usuários inesgotável. Embora tenhamos outros player concorrentes (99, Cabify, Lyft) o mercado não está suprido e em muitas cidades não há nenhuma dessas alternativas, o que proporciona a oportunidade de surgirem outros modelos de negócios similares.

Ficou impressionado com a quantidade de erros cometidos pela Uber?

Está cogitando desenvolver um aplicativo semelhante?

Confira esse post que aprofundamos nesse assunto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Tópicos

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Junte-se a mais de 62.000 mil assinantes e tenha acesso a conteúdos exclusivos