Como fazer um aplicativo tipo Rappi?

Criada em 2015 e avaliada em mais de um bilhão de dólares em 2018, a startup colombiana de delivery Rappi se tornou o mais novo unicórnio da América Latina. Sua estrutura é semelhante a qualquer outro aplicativo de delivery, entretanto sua inovação está no fato dele ser um “delivery de tudo”.

O app permite que você faça compras em diferentes locais, como farmácia, supermercados, restaurantes, livrarias — e até mesmo solicite serviços, recebendo tudo em casa.

Sua estrutura é uma mistura do modelo “marketplace” e de um aplicativo tipo Uber. Um marketplace é um local onde outras marcas podem vender seus produtos. Já serviços do modelo “Uber” operam com a união dos prestadores de serviços (profissionais que realizam transporte) com os clientes (no caso do Rappi, pessoas que desejam receber compras em casa). Essa união, somada a possibilidade de comprar “qualquer coisa” em qualquer lugar, faz desse delivery um sucesso.

Por isso, nesse artigo, iremos abordar cada ponto de “como fazer um aplicativo tipo Rappi”.

Como funciona a Rappi?

Nele você pode solicitar desde delivery de dinheiro em espécie, até buscar as chaves que você esqueceu no escritório. As opções disponíveis são organizadas em diferentes categorias como restaurantes, cash, qualquer coisa, lojas e entregas, tudo isso disponível a alguns toques de você.

Como fazer um aplicativo tipo Rappi?

Por se tratar de um aplicativos sob-demanda, é necessário o desenvolvimento de dois apps: um para realizar pedido e outro para entregadores.

Entretanto, existe também um dashboard administrativo e um painel no qual as lojas parceiras podem expor seus produtos semelhante a um marketplace.

Principais recursos do aplicativo para clientes

  • Marketplace: um espaço onde as lojas e marcas parceiras possam vender seus produtos;
  • Sessão para Qualquer coisa: uma sessão onde você pode pedir qualquer produto ou restaurante que deseja,desde um sorvete até um iPhone;
  • Sessão para Entregas Urgentes: uma área onde o usuário pode enviar uma encomenda, buscar chaves e até pagar suas contas;
  • Geolocalização: acompanhar entregador em tempo real;
  • Calculadora de tarifas: saber quanto vai custar o pedido;
  • Mensagens: para comunicação com o entregador, que podem ser por sms, notificações push in-app ou por e-mail.
  • Gateway de pagamentos: um sistema de pagamentos in-app para facilitar toda transação;
  • Sessão para avaliar entregadores: as avaliações são fundamentais para aplicativos desse tipo. Assim, o administrador consegue ter um controle de qualidade da frota.

Principais recursos do aplicativo para entregadores

  • Geolocalização: para saber onde buscar e entregar;
  • Recibos eletrônicos automáticos: o recibo de cada entrega feita;
  • Cálculo automático de tarifas: acesso ao cálculo de quanto vai sair a entrega;
  • Mensagens: para comunicação com o cliente, que podem ser por sms, notificações push in-app ou por e-mail.

Dashboard administrativo

  • Gerenciamento de reclamações;
  • Sistema de rastreamento de veículos (GPS);
  • Gerenciamento de receita;
  • Configurações de limite de geolocalização (até onde os entregadores podem ir);
  • Hora de chegada e partida dos entregadores;
  • Configuração do envio de mensagens in-app;
  • Cobranças e estornos;
  • Comissão dos entregadores.

Painel para o marketplace

  • Gerenciamento de conteúdo;
  • Gerenciamento de receita;
  • Ferramentas de código de promoção e desconto;
  • Código e layout otimizados para mecanismos de pesquisa;
  • Ferramentas de relatórios;
  • Ferramentas para controle de estoque;
  • Sistema de mensagens integrado com os clientes.

Depois de selecionada, você verá as farmácias que são parceiras da plataforma, escolher uma e finalizar a compra.

As lojas parceiras pagam para estarem cadastradas na sua plataforma além das taxas do serviço de entrega.

Vantagens de um aplicativo tipo Rappi

Primeiramente, existem as vantagens apresentadas por todos os modelos de negócios baseados em aplicativos móveis: a facilidade de pagamento e uma plataforma completa e inteligente focada na experiência do usuário, que preza sempre pela usabilidade, buscando observar e simplificar as principais necessidades dos clientes. 

Por serem delivery de tudo, esses aplicativos possuem vantagens por motivos como:

  • ser uma plataforma e loja completa;
  • várias possibilidade e formas de monetização;
  • base de usuários praticamente ilimitada.

Exemplos de como monetizar o aplicativo

São várias as formas de ganhar dinheiro com um aplicativo delivery de tudo. O mais tradicional é o ganho por entregas. As formas de calcular as tarifas não são precisas, podendo variar de acordo com o porte de cada cidade. Planos de fidelidade são extremamente indicados para criar uma base ativa de usuários, oferecendo promoções exclusivas e descontos. 

Além disso, no caso do marketplace, as empresas parceiras pagam uma taxa para cada produto consumido na sua página. Neste caso seu aplicativo ganhará duas vezes, uma por fornecer a hospedagem e outra no momento da entrega.

Qual o custo para criar um aplicativo desses?

O custo de desenvolvimento de um aplicativo de entrega semelhante ao Rappi, conta com dois aplicativos, um para clientes e outro entregadores, além de um painel administrativo para os dois apps e outro para as lojas parceiras que usarão o marketplace. Esse é um trabalho complexo que pode levar entre 60 a 90 dias para ser finalizado, com seu custo podendo variar entre 100 e 150 mil reais.

Este custo é apenas do desenvolvimento, entretanto existem outros custos, estes são:

  • Google Console (Play Store – Android) – Cobrado uma única vez;
  • Apple ID (AppStore – iOS) – Cobrado anualmente;
  • Amazon EC2 (servidor) – Cobrado mensalmente de acordo com o uso;
  • API de geolocalização (mapa, rota, nomes dos lugares e endereços) – cobrado mensalmente de acordo com uso;
  • Mailgun (envio de E-mail) – Funciona a partir de crédito;
  • Gateway de Pagamento – É cobrada uma taxa por transação.

Os custos de servidor e os da API de geolocalização são cobrados com base no número de usuários ativos. Já o de envio de e E-mail funciona como um celular pré-pago, onde X créditos equivale a X envios. A taxa cobrada nas transações de pagamento dentro do aplicativo dependerá do gateway escolhido.

Uma oportunidade que está surgindo

O Rappi, está em um momento de expansão e por enquanto ele está operando apenas regiões metropolitanas e em cidades grandes. Ele irá demorar algum tempo até começar a atingir as cidades menores. No momento, ele está disponível em mais de 40 cidades brasileiras: São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Salvador, Recife, Fortaleza, entre outras.

Outro ponto é que nos grande centros, parte das parcerias com lojas, supermercados e outros estabelecimentos, estão sendo feitas com marcas internacionais ou nacionais de grande porte. Aquela rede de supermercado da sua região, provavelmente, não está incluída nessa lista, abrindo assim espaço para você conquistar o mercado local.

Entre em contato já e garanta seu lugar no mercado!


  • Marketeam
  • Equipe de Marketing
  • Ninguém jamais deveria levar o crédito pelo trabalho de outras pessoas! Certos artigos aqui na Usemobile são criados de forma tão colaborativa que é impossível atribuir-lo a uma só pessoa. Por isso, este artigo é do time que joga na linha de frente, o Marketeam.

2 comentários no post “Como fazer um aplicativo tipo Rappi?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *