investidor-anjo

Investidor anjo: 9 dicas para tirar seu app do papel

Pessoas interessadas em patrocinar ideias sempre existiram ao longo da História. Os mecenas destinavam seus recursos a artistas, inventores e empreendedores que desenvolviam projetos inovadores em diversos campos de atuação. Hoje a prática resiste porém como via de mão dupla, concentrada na figura do investidor anjo: fonte crítica de capital inicial para startups que estão deslanchando agora.

O perfil do anjo é o de um indivíduo com elevado patrimônio líquido, normalmente sendo ele mesmo um empresário de sucesso e que tem como meta fazer investimentos pessoais em alguns negócios menores. Eles tendem a investir mais rapidamente que pessoas trabalhando com capital de risco ou empresas privadas. O valor de um investidor anjo ultrapassa o da quantia de dinheiro oferecida, já que manter boas relações com um deles pode abrir portas para clientes potenciais, bem como investidores maiores.

Procurar e conseguir fazer um pitching com um investidor anjo são ações que andam de mãos dadas com ser um empreendedor de sucesso, e podem ser definitivas se você possui ideias para um aplicativo em fase inicial de desenvolvimento. Diferentemente do que se pensa, o pitching com estes investidores não deve consistir em procedimentos complicados de venda – tem muito mais a ver com apresentar ótimas informações de forma atraente, mas com honestidade e compreensão do que deve ser comunicado. Ao longo deste artigo, você saberá o que e como fazer para encontrar o investidor anjo que o seu aplicativo móvel tanto precisa para se tornar realidade.

  1. Filtrando as opções

Não adianta perder tempo e dinheiro tentando contatar investidores que não estão interessados em ideias absolutamente embrionárias, ou no tipo de aplicativo que você pretende oferecer. A área de interesse (mercado), a localidade e o estágio de desenvolvimento em que sua empresa atualmente se encontra devem ser os três critérios básicos para filtrar os anjos com os quais você pretende falar. É importante restringir suas opções através de pesquisa detalhada, análise de portfólios e investimentos, e descobrir em que tipo de negócio eles estão envolvidos normalmente.

  1. Consultando uma rede

Usar uma rede de investidores anjo é uma maneira muito eficaz de se conectar com as pessoas que você precisa. Através delas, você poderá agrupar as empresas de acordo com suas necessidades e usar a rede para contatar os anjos, dando a você e à sua oportunidade credibilidade adicional. Um diretório de anjos é simplesmente um site ou publicação que fornece uma lista de grupos de anjos populares, podendo ser úteis como ponto de partida para ajudar a restringir sua busca e se concentrar nos investidores você que deseja atingir. Também há grupos como o Anjos do Brasil, organização sem fins lucrativos que conecta centenas de investidores e empreendedores através de interesses em comum, e que fomenta o crescimento de novas startups pelo país.

investidor anjo anjos do Brasil

  1. Cold mailing

“Cold mailing” é a prática de basicamente projetar e organizar o envio sistemático de e-mails para potenciais investidores que se encaixem no seu perfil alvo, mas que você ainda não conhece ou com quem você não teve nenhum contato anterior, sendo semelhante ao “cold calling”, mas através de um meio escrito. Cold mailing significa oferecer seu produto ou serviço diretamente aos investidores que terão recursos para torná-lo real. Você pode usar ferramentas de busca como o Google para encontrar estes investidores, ou pedir para que pessoas do seu network os apresentem a você. Procure por conteúdo relacionado ao seu nicho de mercado, e uma vez que você tenha identificado os nomes, mande os cold mails. Surpreendentemente essa técnica funciona muito bem, já que oferece aos investidores mais tempo para ler e refletir com cuidado sobre a proposta, enquanto uma ligação poderá ser simplesmente rejeitada ou ignorada.

  1. Desenvolvendo um “pitch de elevador”

A primeira coisa que você deverá enviar ao investidor anjo em seu cold mail é o “pitch de elevador”. Esse procedimento recebe esse nome porque consiste na descrição que você daria sobre o seu aplicativo para alguém que você encontrasse casualmente em um elevador, ou seja, da forma mais concisa, objetiva e explicativa no menor tempo possível. O pitch de elevador NÃO é um pitch de vendas. É uma explanação curta e bem elaborada do seu app, da forma como ele funciona e do tamanho do mercado para a solução que ele oferece. Somente isso. Você não precisa “vender” sua ideia na introdução – sua oportunidade deve falar por si mesma. Aperfeiçoar seu pitch de elevador irá ajudá-lo em tudo, desde escrever e-mails a pensar sobre e salientar seus diferenciais competitivos.

  1. Encontre o mercado para seu app

Antes de se preocupar demais com a funcionalidade do seu aplicativo ou como você irá desenvolvê-lo, você precisa entender a arena competitiva na qual você pretende inseri-lo. Você deve estar intimamente familiarizado com o que outros aplicativos oferecem na mesma área. Naturalmente, existe sempre a possibilidade de que um app semelhante já exista ou esteja para ser lançado, com algumas diferenças. Você deve mostrar o “fator X” que os outros não têm, ou qualquer coisa que diferencie sua startup. Se seu app já está em um estado menos primário de desenvolvimento, uma demonstração interativa dele pode impressionar seu investidor anjo.

  1. Branding

Mesmo que seu aplicativo não esteja nem perto de ficar pronto, projetar para ele um site, um logotipo ou qualquer coisa que indique ideias iniciais referentes ao marketing mostram seriedade perante os investidores, conferindo valor e legitimidade à sua marca.

  1. Resposta

Se o investidor anjo eventualmente responder a mensagem, poderá simplesmente recusar a proposta ou solicitar mais informações. A maioria dos anjos pedirá um sumário curto ou um pitch deck. Nesse momento eles não estarão interessados na maior quantidade possível de informação, mas na menor e mais efetiva, então não adianta bombardear seu provável investidor com páginas e mais páginas que ele não lerá. Lembre-se que eles provavelmente estarão analisando dezenas de propostas além da sua, então seja direto e preciso, mas sempre deixe claro que mais informações estão disponíveis.

  1. Pitch Deck

Antigamente os investidores costumavam solicitar sumários executivos, dos quais liam alguns parágrafos da parte de maior interesse. Hoje em dia normalmente o pitch deck é o meio mais pedido, já que ele consiste em um plano de negócios espalhado ao longo de 10-20 slides em um documento de PowerPoint ou similar. Este formato é apreciado pelos investidores porque obriga o empresário a ser breve e usar muitas deixas visuais ao invés de textos longos. O pitch deck é um dos pontos mais importantes a serem desenvolvidos, já que será o item principal para arranjar encontros com executivos e também o foco principal de suas apresentações.

  1. Apresentação

Uma vez que seu material tenha sido avaliado pelo investidor anjo, ele decidirá se está interessado em ouvir o que você tem a dizer da sua própria boca. Essa etapa tem muito mais a ver com o investidor gostar pessoalmente de você e da sua personalidade, então é crucial demonstrar segurança e confiabilidade na hora de apresentar suas ideias. Ao longo da reunião você responderá a diversas questões, e é melhor permanecer focado no diálogo e nas demandas trazidas pelo investidor do que em falar sobre tudo, inclusive de pontos que não o chamem atenção ou interesse, o que pode diminuir a qualidade atribuída à sua apresentação. Esteja preparado para responder sobre qualquer coisa, e tenha na ponta da língua quaisquer informações sobre visão, validação, problemas, oportunidades de nicho e mercado, modelos de lucro, etc.

Investidor anjo: abre alas para o sucesso

Muitas vezes na procura por um investidor anjo, você ouvirá mais “não” do que “sim”, mas isso faz parte; não deixe que isso te desestimule. Toda vez que escutar uma resposta negativa, tenha certeza do motivo. Peça insights sobre o que pode tornar a sua ideia, seu aplicativo e seu pitch melhores. Com esse tipo de mentalidade, você poderá compreender com cada experiência o que estes investidores esperam, e como você pode aperfeiçoar seu projeto.

Nenhuma das dicas acima é mais importante do que o elemento de ter uma ideia que voará das prateleiras digitais uma vez que tenha sido transformada em um aplicativo. Uma vez que isso esteja bem definido, estes passos ajudarão a te colocar em uma posição melhor na sua busca por levantar capital para criar um aplicativo.

Tem alguma dica para quem está procurando por um investidor anjo, ou alguma dúvida em que a gente possa ajudar? Deixe um comentário abaixo!


  • Caio Aniceto
  • Estudante de Jornalismo. Protótipo de artista. Gamer, cinéfilo e comediante nas horas vagas. Amante do marketing criativo, das campanhas virais e das narrativas transmídia. Praticante das ciências ocultas e defensor inveterado da Tecnocracia. Jura que foi um androide na vida anterior.