Como criar um app MVP? Tire sua ideia do papel

Tags:    

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Receba atualizações semanais no e-mail

Um aplicativo MVP é um produto mínimo viável, isto é, um produto que servirá para validar, ou não, a viabilidade de negócios da tecnologia. Dessa forma, o aplicativo é desenvolvido com recursos básicos com o objetivo de testar hipóteses de vantagens e desvantagens empresariais, também tecnológicas, e checar se vale a pena lançá-lo no mercado. 

Este aplicativo mínimo tende passar a imagem de um produto inacabado e cheio de erros, o que não é verdade. Ele é um produto que fornece apenas o serviço mais importante, trabalhando sua funcionalidade principal. Grande parte startups promissoras como a Uber, Airbnb e Nubank começaram assim até se tornarem aplicativos maiores e completos.

Isso porque a fase inicial dos negócios geralmente possui recursos limitados, exigindo muitas adaptações e reinvenções até chegar a fase de escalabilidade, que implica num ganho de relevância e visibilidade do app. Isso acontece para praticamente todos, mesmo partindo de ideias fantásticas.

Para ilustrar melhor, veja esse vídeo humorado do canal Parafernalha sobre uma hipótese de como foi o MVP do Waze, app de mobilidade urbana:

Criar um app mvp significa lançar sua ideia, testá-lo em usuários reais, validar as hipóteses da sua solução através dos feedbacks dos usuários e saber como está a usabilidade do aplicativo gastando o mínimo para isso. Existem algumas etapas a serem seguidas para isso. Vamos conferir?

Se quiser ir direto para a criação de um app MVP, clique aqui.

MVP e protótipo são a mesma coisa?

Mas antes, precisamos fazer uma conceituação. É comum a associação de “MVP” e “protótipo”, mas ambos não são a mesma coisa. A convergência entre eles é o objetivo de testar uma hipótese, mas o resultado final é diferente.

Um MVP vem para testar uma hipótese de negócio, que pode ser feito através de um produto pronto. Logo, é necessário que o MVP seja disponibilizado no mercado para que clientes o acessem. Uma lean startup é um exemplo de MVP. 

Já o protótipo serve para validar uma hipótese tecnológica. Logo, não necessariamente ele será lançado no mercado para chegar aos consumidores. Dessa forma, ele é testado em ambientes controlados.

Passos para a construção de um MVP para aplicativos móveis

Desenvolver uma solução completa ou um produto é demorado e desperdiça tempo e recurso. O problema é que no estágio inicial, desenvolvimento do produto e garantia de qualidade, você obtém muito pouca informação do mercado e do cliente, então quase não há aprendizado. A maior parte do aprendizado acontece após o lançamento do produto.

Esse problema de aprendizagem resolvemos com o MVP, amenizando riscos e trazendo mais segurança para as tomadas de decisão.

Para isso, vamos conferir como fazer um aplicativo MVP da maneira correta:

1- Descubra qual problema está resolvendo e para quem

O primeiro passo para o desenvolvimento de um produto mínimo viável e bem-sucedido é avaliar sua ideia de negócio. Comece se perguntando duas coisas para tentar se colocar no lugar do cliente:

  • Por que preciso deste produto?
  • Como isso pode me ajudar?

Responder a essas perguntas ajudará a entender o objetivo principal do seu produto e a encontrar a melhor solução para as necessidades reais dos seus futuros clientes.

Podemos chamar esses “futuros clientes” de público-alvo. Isto é, o grupo de pessoas que você espera comprar e usar seu produto. Mas por que eles usariam isso? Você precisa encontrar um problema que possa resolver para o seu público-alvo. 

A melhor maneira de achá-lo é pensar em seus desafios pessoais. Existe alguma coisa que você pessoalmente poderia fazer melhor se você tivesse a ferramenta certa? Você consegue criar essa ferramenta? Com esta visão você será capaz de procurar problemas em diferentes áreas.

Vamos tomar a história do AirbnB como exemplo. Em 2008, quando foi fundada, dois amigos começaram a alugar colchões de ar. Então eles decidiram transformar sua sala de estar em um quarto com colchões de ar para três pessoas. Depois eles construíram um site simples para oferecer seus serviços na internet. Em seguida vieram os aprimoramentos até chegar nos moldes atuais.

Tudo começou com a dor do público de não ter uma hospedagem acessível. Um MVP começou com os moldes mais simples até progredir e hoje ser um grande concorrente dos hotéis.

2- Analise a concorrência

Observe seus concorrentes: veja os produtos similares que já existem no mercado, analise seus sites ou aplicativos e obtenha algumas informações como tráfego mensal, localização geográfica dos clientes deles, classificação do app nas stores e outras informações úteis.

Se o negócio tem se saído bem, o ideal é que seu app MVP alcance o mesmo patamar. Caso contrário, procure entender as deficiências e como seu próprio app irá supri-las, criando o diferencial que irá te colocar em vantagem sobre a concorrência.

3- Planifique e conceitue todas as fases do desenvolvimento

Defina todos os estágios do processo e prazos para cada um deles. Explique para os desenvolvedores quais são as etapas necessárias para alcançar o objetivo principal do seu produto. Feito isso, você deverá se preocupar apenas com as tarefas fundamentais, pensando menos sobre recursos específicos para a sua aplicação.

Por exemplo, se você pensa em desenvolver um app para sua loja de varejo, dedique-se em funções básicas como encontrar e/ou comprar determinado produto ou, então, gerenciar e/ou receber pedidos.

4- Liste todas as funções separando-as por prioridade

Assim que você decidir o fluxo do usuário no seu produto e o esboço das telas, comece criando uma lista de recursos específicos para cada etapa do fluxo. 

Você pode destacar todos os recursos que acha que são “legais de ter”, mas não estritamente necessários.

Quando há uma lista de recursos para cada etapa, você precisa priorizá-los. Para tomar essa decisão, faça o seguinte:

  • Pergunte a si mesmo: qual é a ação mais importante que desejo que meus usuários realizem? Esta será a principal característica do app;
  • Questione: quais outros recursos eu quero oferecer? Explique por que você precisa de cada um desses recursos;
  • Em seguida, categorize todos os recursos restantes nas categorias “deve ter“, “bom ter” e “não é importante“.
  • Por fim: defina o escopo da primeira versão do produto. Feito isso, inicie o desenvolvimento do app MVP!

5- Teste o app MVP (fase de homologação)

Uma das partes mais importantes do desenvolvimento de qualquer aplicativo é a fase de testes. Antes do lançamento oficial, seu produto já estará quase concluído, porém ele precisa ser testado para verificar o desempenho, detectar possíveis bugs e corrigi-los.

A primeira etapa de testes é conduzida pelos analistas e diretores de qualidade, cujo trabalho é melhorar o produto enquanto ele ainda não foi lançado, submetendo o app aos testes alfa ou beta. 

Nesse processo, somente as mudanças de cunho vital para o app devem ser modificadas imediatamente. Ou seja, pontos de acréscimo vem depois. O importante é o produto mínimo funcionar corretamente para depois ser melhorado.

6- Se atente à experiência do usuário

Todos os fatores envolvidos na interação entre o aplicativo e o usuário se configuram como “experiência do usuário”, cuja relação entre eles gera feedbacks fundamentais para análises quanto ao seu funcionamento, orientando quais devem ser os pontos de melhoria. Afinal, não existe ninguém melhor que os seus próprios usuários para analisar a relevância ou ausência dos recursos.

Este processo de melhorias de acordo com a experiência do usuário deve ser contínua, seja em fase de testes ou após o lançamento do app. Isto é, nunca deve sair da prática. Isso ajudará no engajamento do público no seu aplicativo, melhorando cada vez mais a performance do seu aplicativo.

App MVP pronto! Qual o próximo passo?

Aprovado o aplicativo na fase de testes, ele já está pronto para ser disponibilizado aos usuários. Portanto, lance-o nas lojas de aplicativos. Para isso, conte com as melhores práticas de ASO e marketing para aplicativos para que seu app MVP alcance um maior número de pessoas.

O verdadeiro trabalho começa neste momento, porque agora é necessário entender como o público recebe o seu aplicativo, usando análises e capturando dados para tomar as melhores decisões.

Como regra, as pessoas estão mais inclinadas a falar sobre o que não gostam do que sobre o que gostam. Portanto, se você receber mais feedback negativo do que positivo, isso não significa, necessariamente, que seu produto é ruim. Contudo, boas avaliações são requisitos mínimos para se destacar nas lojas de aplicativos.

Por isso que a experiência dos usuários é tão importante neste processo. Entretanto, somente as avaliações não são suficientes, sendo necessário acompanhar também as estatísticas do aplicativo para aprimorá-lo corretamente. A parte mais difícil é descobrir como tirar proveito das informações que você possui, adaptando e melhorando constantemente as suas soluções. Porém, nada é impossível!

E, aí? Você tem alguma grande ideia de aplicativo? Entre em contato para orçar o seu app MVP.

Tópicos

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Junte-se a mais de 62.000 mil assinantes e tenha acesso a conteúdos exclusivos

Estamos contratando, venha conferir nossas vagas