tendencias-de-transformacao-digital-para-2019

10 tendências de transformação digital para 2019 pela Forbes

A transformação digital não é apenas uma mudança tecnológica, mas uma transformação organizacional na inserção entre tecnologia, pessoas e negócios. Aliás, essa reflexão deve levar em conta inúmeras possibilidades. Com esse olhar, a Forbes montou um top 10 de tendências da transformação digital para 2019.

Leia também: Transformação digital: aplicativos mobile, a porta de entrada

Para 2018, a Forbes traçou como tendências de transformação digital tópicos como User Experience, Big data, smart machines e IOT. Como previsto, esse ano realmente foi o ano dessas tecnologias, como a aplicação de big data nas eleições presidenciais. Então, vale a pena ficar de olho no que a Forbes tem a dizer.

Por isso, trazemos aqui as 10 principais tendências de transformação digital para 2019 pela forbes:

#1 – 5G fixo para smartphones 5G

Se você tem acompanhado a comunidade de tecnologia, você verá que há um grande número de implantações fixas e de teste com empresas como Qualcomm, Intel, Nokia, Ericcson, Samsung e Huawei todas entrando em ação.

Também estamos vendo novas empresas, como a Mimosa Networks, tornando possível distribuir o 5G para locais rurais e urbanos, abrindo caminho para provedores móveis de 5G de alta tecnologia – ou seja, ATT e Verizon – para começar a oferecer serviços novos, mais rápidos e mais inovadores para usuários mobile. É um momento emocionante para o 5G e para celulares.

Enquanto 2018 foi o ano em que os aplicativos 5G encontraram seu caminho, em 2019 vamos ver o 5G encontrar seu caminho no canto superior de nossos smartphones. Ainda assim, para usuários do iPhone, é mais provável que isso aconteça em 2020 ou posteriormente.

#2 -Chatbots – de bom para ótimo!

Todos já passamos por experiências extremamente frustrantes com chatbot à medida que completamos 2018. Mas a boa notícia é que grandes passos continuam sendo feitos na forma de processamento de linguagem natural e análise de sentimentos. São tantos, na verdade, que alguns acreditam que a NLP (Neuro Linguistic Programming) vai sacudir toda a indústria de serviços de maneira que nunca imaginamos.

Pense sobre tudo que pode ser providos sem interação humana – linhas de fast food, processadores de empréstimos, recrutadores de emprego! Além disso, a NLP permite que as empresas obtenham insights e melhorem seus serviços com base nas informações obtidas.

Cerca de 40% das grandes empresas adotaram ou irão adotá-lá até o final de 2019 – o que faz com que essa seja uma das principais tendências de transformação digital em 2019.

Sabemos que muitos estão alarmados com como a AI e Chatbots podem impactar a força de trabalho, mas também estamos otimistas de que as empresas vão melhorar suas forças de trabalho em vez de substituí-las. Pois, como sabemos, as máquinas podem ser boas em solicitações bem definidas, mas deixam muito a desejar quando se trata de lidar com a empatia e a emoção humana necessárias para proporcionar grandes experiências aos clientes.

#3 – Nuvens conectadas (públicas, privadas, híbridas)

Honestamente, podemos registrar isso como “a evolução contínua e as dificuldade de crescimento da adesão de serviços nuvem”. Basicamente, o que está acontecendo é que as empresas estão percebendo que passar por todas as nuvens públicas, privadas ou data center não é a melhor opção.

Às vezes, eles precisam de uma mistura de todos ou ambos. Assim, as nuvens conectadas continuam a se desenvolver para atender às necessidades de mudança das empresas, quer desejem armazenamento, rede, segurança ou implantação de aplicativos de nuvem.

Os principais provedores de nuvem pública, como Amazon e Alibaba, atendem a chamada, oferecendo opções de nuvem privada (ou, no caso do Google, baseadas em contêiner). Também estamos vendo a Microsoft através do azure, a HPE com a aquisição da Cloud Technology Partners em 2017 e seus consumíveis de TI, bem como a VMware com sua recente aquisição da CloudHealth Technologies, todos mostram um compromisso maior com a conexão de nuvens.

O termo Multicloud será o novo chavão para a conversa em nuvem, e o que acredito que este movimento significa mais do que qualquer outra coisa é que não importa quais cargas de trabalho estão sendo executadas em qual nuvem, a experiência para TI e aqueles que estão utilizando os aplicativos precisa seja transparente, seguro e simplificado.

Para a maioria das empresas, isso significa uma mistura de cargas de trabalho em ambientes públicos, privados e híbridos, e esse será um grande tópico em 2019.

#4 – Blockchain finalmente compreendido e não deu certo (em termos)

Esqueça tudo de mágico que já foi falado sobre blockchain. À medida que continuamos a explorar esse milagreiro tecnológico, percebemos que o blockchain é uma confusão. É muito complicado para os leigos usarem agora, e não há uma maneira padrão de usá-los porque todos nós queremos usá-lo de forma diferente.

A única maneira de obter a adoção massiva do blockchain é criar uma versão plug-and-play que todos nós possamos usar e entender. Estou acompanhando de perto as principais empresas de tecnologia, como a IBM, que continuam assumindo enormes compromissos com o potencial do blockchain para aplicativos além da criptomoeda.

A indústria financeira também está olhando para isso de perto, bem como uma massa de aplicações no transporte de bens e serviços. No entanto, até este ponto parece mais uma jogada de marketing do que uma oferta de tecnologia genuína.

O palpite aqui é que muitos desenvolvedores espertos continuarão trabalhando para perceber o potencial do blockchain em 2019, mas pensamos que serão mais 2-3 anos antes de começarmos a ver a tração que foi prometida.

#5 – Dados para Analytics para Machine Learning para AI

No centro de todas essas tendências tecnológicas e no centro dessa lista está o eixo de muitas dessas tendências e da transformação digital como um todo. Os dados são essenciais para que as empresas possam tomar boas decisões sobre produtos, serviços, funcionários, estratégia e muito mais.

Nós não vamos ver uma desaceleração em breve. Como dados recentes mostraram que criamos 90% dos dados do mundo no ano passado, a pesquisa também mostra que estamos usando apenas 1% dos dados de forma eficaz.

Embora estar no top 1% seja sempre uma coisa boa, esse é um 1% que a maioria de nós, pregando o poder da análise, deveria ter vergonha.

Com uma infinidade de empresas como Microsoft, SAP, SAS e Salesforce (apenas para citar algumas) mostrando liderança de mercado na promoção de dados transformados em análise de negócios significativa, há muito a ser feito por organizações orientadas a dados para realizar o poder de os dados disponíveis e os dados que estão coletando.

Com o poder de processamento aprimorado que pode aumentar o potencial das machine learning, veremos os líderes digitais investindo em produzir mais de todos os seus dados e isso será feito com machine learning e inteligência artificial, e acredito que 1% crescerá para 3 ou 4% até 2020; o que pode parecer pequeno, mas é um aumento maciço na utilização de dados.

#6 – GDPR força as marcas a melhorar sua segurança

Em agosto de 2018, cerca de 1/3 das empresas ainda não estavam em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados da Europa (GDPR), que visa fornecer enormes níveis de proteção de dados para os usuários.

Na verdade, no momento, cerca de 1.000 sites de notícias dos EUA ainda não estão disponíveis na Europa, geralmente porque eles não se importam o suficiente com a segurança de dados para tornar o GDPR uma novidade prévia.

O que isso significa em termos de tendências de transformação digital de 2019? Isso significa que os clientes informados começarão a ver quais empresas realmente se preocupam em proteger seus dados e quais empresas realmente não querem. O GDPR é o início de uma tendência mais global que responsabilizará as empresas pelo modo como tratam a privacidade e os dados pessoais.

Embora as marcas não precisem necessariamente obedecer, esse movimento servirá como um aviso para as empresas descobrirem maneiras melhores de construir relações genuinamente com seu público, em oposição ao mau uso e abuso de dados pessoais em nome do marketing e vendas.

#7 – AR sim, VR (ainda) não

Estou começando a me sentir mal com a realidade virtual (VR) porque é muito legal, mas isso não é viável além dos jogos e dos aplicativos altamente especializados no mercado atual.

Em vez disso, a realidade aumentada (AR) – o irmãozinho menos sexy da VR – continua sendo o nome do jogo em 2019 tendências de transformação digital. A AR encontrou muitos casos de uso no treinamento da força de trabalho da empresa, o que significa que não é legal, é útil. E é disso que se trata a tecnologia.

De fato, apesar de alguns acharem que será lento, acredito que o desenvolvimento do AR crescerá em 2019. Estou pronto para ouvir algo sobre um novo AR ou produto de realidade mista e / ou kit de desenvolvedor em 12 de setembro, do grande anúncio da Apple. Espero que algo promissor.

#8 – De Edge para Core e muito mais IoT

No ano passado, minhas primeiras quatro tendências foram basicamente IoT, AI, Machine Learning e Edge. Este ano, os quatro se tornam um porque estão tão profundamente interconectados.

A medida que a IoT cresce – e o número de dispositivos conectados dispara -, faz sentido que precisamos de mais espaço – e espaço mais próximo – para processar os dados que estão sendo usados ​​para capturar e processar.

Os conceitos de Cidades Inteligentes e Veículos Autônomos têm zero chance de serem realizados se o processamento de dados tiver que acontecer na nuvem. Isso significa que estaremos direcionando cada vez mais para a computação de ponta em termos das tendências de transformação digital de 2019.

O Analytics e os dados não serão apenas para processamento. Eles serão processados ​​em tempo real. E isso é algo que apenas a tecnologia Edge pode suportar agora. Agora, é importante enfatizar que Edge e Nuvem não são mutuamente exclusivas.

A Cisco refere-se à interdependência de Edge e nuvem como “The Fog”, pois reconhecem que as interações de dados críticos que ocorrem entre a Edge e a nuvem para maximizar a utilização de dados.

Enquanto o seu vernáculo pode ou não se tornar onipresente com a conexão entre Edge e core, você pode estar certo de que os dois vão trabalhar juntos incansavelmente para alcançar as possibilidades que estão sendo vendidas para nós com AI, IoT e Machine Learning.

#9 – Serviços de TI baseados no consumo

Este ano, fizemos nossa lição de casa e perguntamos aos CIOs e executivos de TI sobre seus orçamentos de TI e tendências no consumo de nuvem e no geral, eles estão interessados ​​em criar eficiência, ter mais flexibilidade com suas cargas de trabalho (observe a tendência 3) e capacidade de escalar rapidamente para cima e para baixo com base nos requisitos do negócio.

Isso significa que, assim como vimos o Salesforce se tornar um peso-pesado para o CRM como serviço, a ideia de qualquer coisa e tudo como um serviço é altamente desejável. Com o crescimento do setor de serviços, as empresas estão se tornando mais sofisticadas na escolha de serviços de TI “a la carte” para atender às suas necessidades.

Este ITaaS permite escalabilidade, a mais recente tecnologia (sem o último preço de tecnologia), ciclos de compras mais curtos e maior agilidade. Só faz sentido que as empresas estejam se inclinando dessa maneira e elas serão cada vez mais em 2019.

#10 – CEOs tomam as rédeas

Inúmeros estudos mostraram um enorme desejo dos funcionários de ver a transformação digital começar no topo da empresa, no entanto, as tendências ainda estão mostrando que a tarefa está sendo delegada com muita frequência aos departamentos de TI, Marketing ou RH.

Portanto, embora tenhamos visto uma série de líderes de nível C encarregados de assumir as rédeas da transformação digital, acredito que o CEO deve (provavelmente) finalmente avançar em 2019, percebendo que a transformação digital não vai a lugar nenhum.

Eles farão com que seja mais prioritário contratar para a transformação digital, reconhecendo a natureza crítica da construção de culturas que podem mudar, e o valor de reconquistar funcionários e contratar com agilidade – aprendendo a confiar nos dados mais do que nunca. Essa é uma boa notícia para todas as empresas em 2019.

Concluindo

Se há uma coisa que sei com certeza, é que a transformação digital continuará a mudar a forma como fazemos negócios – em todos os setores. Embora seja difícil ver as incursões que algumas dessas tecnologias estão fazendo agora, seu potencial para mudar a forma como trabalhamos, socializamos e interagimos é enorme – e suas implicações continuarão a se estender muito além do ano à frente.

Para aqueles que preferem um gráfico para compartilhar. Aqui está um visual das 10 tendências para 2019.

Texto traduzido da Forbes, confira o original aqui nesse link.


  • Vitor R. Galante
  • Analista de Inteligência Comercial e Marketing.
  • Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Ouro Preto. Acredito que a formação em economia me proporciona uma visão otimizada do mercado, e marketing é a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *