O que é TikTok? Entenda a popularidade do app

Tags:    

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Receba atualizações semanais no e-mail

O TikTok é uma rede social chinesa exclusivamente para vídeos criada em 2016, embora pode-se dizer que ela é de 2014, pois a empresa comprou o concorrente Musical.ly, app lançado nessa data. Nele os usuários podem criar, editar e compartilhar vídeos de 15 a 60 segundos de diferentes temáticas: dança, cotidiano, animais, viagens, DIY, dublagens e imitações, entre outros.

Ainda que o TikTok não seja o aplicativo mais baixado de todos (quase!), é expressivo o crescimento do app desde o seu surgimento. Com apenas 1 ano de existência, em 2017 ele já estava entre os 20 mais baixados, mas ainda não estava perto do top 5.

Com a compra do concorrente Musical.ly em 2017 e fusão entre apps em 2018, o TikTok pôde expandir internacionalmente, já estando disponível em 75 línguas. Esse alcance geográfico resultou no boom de downloads e popularização que estamos vendo hoje. 

O sucesso do aplicativo transformou o criador, Zhang Yiming, um dos 20 homens mais ricos da China, acumulando uma fortuna de 13,5 bilhões de dólares. Portanto, Zhang e TikTok devem ser tomados como exemplos para os outros donos de aplicativos ou futuros, pois o plano de negócios do TikTok se mostra um sucesso.

Por que o TikTok faz tanto sucesso?

Entendimento do público

Conhecer o público e oferecer uma solução eficaz é o cerne do sucesso de qualquer aplicativo. Levando em conta que a audiência alvo do TikTok são jovens e adolescentes de 16 a 24 anos, sendo 40% do público segundo a Globalwebindex, essa adesão é a prova social do sucesso da rede social.

Logo, é evidente que o TikTok soube fazer um bom trabalho de atração e retenção deste público para manter a popularidade do app.

Tendo em vista que a faixa etária inclui as gerações Z e millennials, a comunicação do aplicativo e suas pautas estão em conformidade com os interesses de ambas gerações, como podemos ver na captura de tela do website do aplicativo. 

Saiba mais: como fazer aplicativos para millennials.

Captura de tela do site em inglês do TikTok com a mensagem "nossa ideia é simples, use o TikTok para o bem"

Entender a persona, seus interesses e dores é exatamente o que os aplicativos precisam fazer para entregar valor para seus usuários.

Conteúdo e bomba de dopamina

Uma estratégia importante a ser observada dentro da rede social é a possibilidade de interagir com ela mesmo sem estar cadastrado. 

Você já será bombardeado por conteúdo em tela cheia logo na primeira vez que abrir o app, caindo dentro do infinito feed da rede social. Essa é uma característica interessante para reter novos usuários, pois prende a atenção deles e fomenta o engajamento.

captura de tela do aplicativo TikTok

Segundo o Business of Apps, cada usuário passa em média de 52 minutos dentro da rede social. Ao passo que os vídeos possuem 15 segundos, podemos concluir, mais uma vez, que a adesão ao app é grande. Isso significa que são consumidos cerca de 208 nesse período. 

Por que as pessoas consomem isso tudo? Para compreender melhor, vamos dar um pulo nas avaliações na Play Store:

Avaliação de um usuário sobre o TikTok na Play Store

O conteúdo da avaliação, além de ser frequente, expõe o valor do Tiktok para os usuários e o porquê de fazer tanto sucesso. Essa entrega de valor através de conteúdos legais é o que estimula a retenção, sendo o diferencial em relação às demais redes e conteúdos anteriormente consumidos.

Isso esbarra na questão da dopamina que as redes sociais oferecem para nossos cérebros, isto é, o hormônio de prazer e satisfação. Quanto mais entretenimento e prazer o app oferece, maiores as chances de retenção. E este modelo de conteúdo já havia sido testado com o sucesso do Vine, uma das primeiras redes sociais com o mesmo propósito.

A categoria de vídeos mais destacados no TiktTok é a de dança, afirmação irrefutável visto que a tiktoker mais seguida é a dançarina adolescente Charli D’Amelio. Challenges de dança são populares na rede, tanto que artistas como Cardi B criou coreografia para que os tiktokers possam aprender. 

Confira um compilado dos principais vídeos destaques do app:

Oportunidade de marketing e influencers

Em junho de 2020, o TikTok lançou o TikTok For Business, modalidade para incentivar ações de marketing e o ingresso de empresas na plataforma. Isso significa que o plano de negócios do TikTok se abriu para uma nova arrecadação de receita através de anúncios dentro da plataforma.

O lançamento é sagaz visto que 2020 foi o ano do coronavírus e aumento por demandas no comércio online.

Leia também: o impacto do coronavírus nos aplicativos.

Antes das empresas chegarem na rede, os influencers já faziam morada no TikTok. Para recompensá-los pela dedicação, a rede social criou fundos milionários para pagá-los. Portanto, é possível ser um tiktoker remunerado. Isso praticamente faz da influência na rede uma profissão.

Os requisitos da plataforma são que os usuários tenham no mínimo:

  • 18 anos;
  • 10 mil seguidore;
  • criar conteúdo original que respeite as diretrizes da plataforma;
  • 10 mil visualizações nos últimos 30 dias.

No entanto, é o próprio Tiktok que elege os influenciadores para o privilégio e, por enquanto, residir nos Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Espanha ou Itália. 

O quanto o TikTok paga e a periodicidade ainda é incerto. O que se sabe é que foram destinados 231 milhões de euros para o Creator Fund

Há espaço para mais aplicativos de sucesso?

Ao invés de dizer “os celulares e aplicativos estão cada mais mais incluídos na nossa vida” de forma genérica, irei apontar números que de fato comprovam essa inclusão. Somente no terceiro trimestre de 2019, 1 de janeiro a 31 de março, houveram 28,1 milhões de downloads de aplicativos ao redor do mundo. Este número representa um aumento de 11,6% em comparação ao mesmo período do ano anterior, segundo a SensorTower.

Deste montante, os downloads de dispositivos diferentes de um mesmo usuário não foram contabilizados. Isto é, se houve o download de um mesmo app tanto no smartphone quanto no tablet, somente um deles entrará na conta.

Agora que sabemos disso, podemos chegar em duas hipóteses desse dado: 1) temos mais apps sendo lançados nas lojas de aplicativos, sendo as principais Google Play Store e App Store ou 2) o volume de smartphones nas mãos dos habitantes tem aumentado.

Levando em conta que as vendas globais de smartphones caíram 4,6% do primeiro semestre de 2019 para 2018, segundo a Counterpoint, a primeira hipótese acaba saindo na frente. Isso quer dizer que as pessoas têm estendido o tempo de uso de seus dispositivos, seja pela qualidade deles, preços ou outros motivos.

Afinal, os desenvolvedores de softwares não deixaram de existir e nem há previsão para isso, principalmente se levarmos em consideração a transformação digital

Apesar disso, Brasil indica potencial para crescimentos dos celulares

Essa pequena queda nas vendas não quer dizer que os celulares deixaram de entrar nos lares. Dos 5 países que mais consomem celulares, o Brasil foi o único a apresentar crescimento nas vendas dos smartphones no ano, segundo a Gartner. Portanto, os brasileiros ainda estão engajados na troca de seus celulares.

Contudo, ainda há um detalhe importante da segunda opção para ser levado em conta: a inserção da tecnologia nas mãos infantis. Podemos observar isso com o surgimento e consolidação de aplicativos voltados exclusivamente para crianças. 

Dessa forma, os tipos de aplicativos acompanham os diferentes públicos e as inúmeras ideias para apps. Afinal, existem diferentes demandas e atividades em execução que podem ter o auxílio dos softwares mobile.

Quero ter um app bem sucedido como o TikTok

Dicas: estude os apps que fazem sucesso e se inspire!

A solução de problemas é o ponto em comum em todos os aplicativos descritos acima. Isso significa que seus criadores estavam atentos às questões que fazem parte dos cotidianos das pessoas. 

Logo, o conselho para os futuros proprietários de aplicativos é: estejam atentos aos seus redores! Tudo pode virar um aplicativo, desde que seja bem planejado e que de fato atenda aos usuários de smartphones. Portanto, é importante que seu software para mobiles tenha como foco inicial uma só região.

Quer mais dicas? Aproveite a empolgação e aprenda como criar um aplicativo! Se você estiver sem tempo, conheça empresas para desenvolver por você com o outsourcing de TI.

Tópicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Junte-se a mais de 62.000 mil assinantes e tenha acesso a conteúdos exclusivos

Estamos contratando, venha conferir nossas vagas