Android e iOS: quais suas principais diferenças?

Android ou iOS? Na hora de escolher um smartphone, os dois sistemas dividem muito a opinião dos usuários, já que possuem muitas coisas em comum ao mesmo tempo que são diferentes. 

O primeiro celular com o sistema iOS foi lançado em 2007, um aparelho muito mais prático e funcional do que os vendidos na época. Não demorou muito para que o iPhone fosse um sucesso no mundo todo. Uma das razões para tamanho sucesso era o sistema iOS utilizado nos aparelhos da Apple. O iOS, desde o seu desenvolvido, sempre prezou pela simplicidade, elegância, segurança e em proporcionar uma experiência de uso sem complicações.

Já o Android sempre teve uma proposta diferente. Ele foi desenvolvido para ser um sistema operacional mais flexível, customizável e aberto, podendo funcionar em celulares e acessórios de diferentes marcas. 

Por isso é preciso analisar bem as diferenças antes de levar um iOS ou Android para a casa. Assim, preparamos um guia comparativo com as principais diferenças a serem analisadas. Confira:

Hardware do sistema

As diferenças do sistema Android para o iOS já começa no hardware que é fabricado para cada um dos dois.

Os smartphones que vêm com o sistema Android podem ser fabricados por diversas marcas como: Motorola, LG, Samsung, Xiaomi, entre outras. Os aparelhos então apresentam vários tamanhos, peso, funções, fichas técnicas, materiais de confecção, dimensões de tela e qualidade. Cada marca apresenta uma maneira de realizar a comunicação entre hardware e o sistema operacional.

Já o sistema operacional da Apple é exclusivo para os dispositivos da marca, variando apenas o modelo de escolha. Isso faz com que todos os aparelhos com sistema iOS apresentem comunicação entre hardware e software muito eficiente. Assim o desempenho dos modelos com iOS será muito próximo e alto.

Os aparelhos Android top de linha dessas marcas costumam ter o hardware melhores que as novidades da Apple. A Apple compensa esse fato com a comunicação homogênea entre hardware e software, justamente pelas peças de hardware serem produzidas com exclusividade pelas fabricantes Apple.

Android-Manufacturers

Alguns preferem a variabilidade de aparelhos dos sistemas Android, o tamanho de telas e alguns gostam de certos fabricantes. Outros preferem a simplicidade e a qualidade de um iPhone.

Tempo de bateria

É uma comparação complexa de ser feita pelo fato dos dois sistemas não possuir um hardware comum.

No Android é possível ver como que a bateria está sendo utilizada, quais aplicativos ela consomem mais, o tempo restante, quanto foi gasto nas 3 últimas horas de uso e afins. Desde a versão Lollipop (2014), o sistema Android já possui a ferramenta de economia de bateria. A partir da versão Marshmallow já é possível otimizar a bateria para aplicativos.

Muita das marcas que fabricam Android oferecem uma ferramenta de economia de bateria própria, que permite ajustes na utilização quando atinge um certo nível de bateria. Alguns aparelhos ainda oferecem a opção de carga rápida, como a Qualcomm que promete 5 horas de bateria em 5 minutos de carregamento.

A Apple só introduziu a utilização mais detalhada da bateria no iOS 8 (2013), junto com o modo de economia de bateria. Como o sistema iOS é focado em extrair o máximo da bateria, muitos usuários reclamavam de sua duração. Devido a esses problemas, o iPhone 7 e 7 plus apresentou um aumento no tamanho da bateria, o que a fez durar mais. 

A partir do iPhone 8, os carregadores vieram com uma alta potência de carregamento, sendo possível atingir 50% em 30 minutos. O acréscimo da bateria também aconteceu nos modelos seguintes, como o iPhone 11 Pro Max com bateria de 3969 mAh.

Atualização do sistema Android e do iOS

Se analisarmos as versões do sistema operacional presente nos aparelhos Android, poucos apresentam a última versão. De acordo com o 9To5Google, o sistema Android 9 Pie está presente em apenas 39,5% dos aparelhos. Já os números do 10 são ainda menores: apenas 8,2% possuem a última versão. Já o Nougat, que é o conjunto das versões 7.X, são os mais comuns com 73,7% de utilização.

Comparando com o sistema iOS, percebemos que os números da Apple são bem melhores em questão de atualização. Dados fornecidos pela própria empresa mostram que cerca de 77% dos dispositivos estão atualizados para o iOS 13. Já a versão anterior está presente em 17% e versões anteriores apenas em 6% dos aparelhos.

Isso acontece porque grande parte dos fabricantes de smartphones Android não se preocupam em atualizar os aparelhos. Ao adquirir um, você deve pesquisar sobre o modelo e o fabricante, procurando a frequência que ele realiza atualizações. Já a Apple quando lançou o iOS 8, cerca de 50% dos aparelhos já haviam sido atualizados logo na primeira semana.

Desenvolvimento e publicação na loja

O processo para o desenvolvimento e submissão de um aplicativo para cada uma das lojas de apps é diferente em cada um dos sistemas. Um aplicativo Android deve ser desenvolvido em linguagens específicas: Kotlin e Java. O desenvolvimento de um Android é mais complexo pela quantidade de modelos de smartphone em que o app deve rodar, com diferentes telas e hardwares.

Já um aplicativo para iPhone utiliza-se da linguagem Swift e Objective-C. A programação é mais tranquila e assertiva em dispositivos iOS por ter poucos aparelhos e os programadores já entenderem bem como eles interagem com o software. Mas isso em caso de aplicativos nativos, pois existem outros tipos de desenvolvimento.

Mas as diferenças não estão apenas no processo de criação de um aplicativo, mas também no de publicação. Ao se fazer um app, ele deve ser submetido a uma loja de aplicativos. O desenvolvedor deve pagar uma taxa única de U$25 na Play Store, e outra de U$99 anualmente na App Store.

A publicação também é bem diferente nas duas. Os termos da Apple são bem mais rigorosos para aprovação de um aplicativo, podendo levar muito mais tempo. Mas para ser aprovado o app passa por um eficiente processo de revisão, que deixa claro o porquê da aprovação ou da rejeição. Isso acaba sendo bom para os programadores, que acabam aprimorando suas habilidades de desenvolvimento.

Já para submeter o app para a Play Store é bem menos burocrático e o desenvolvedor tem muito mais liberdade de conteúdo que na App Store. Aqui não há o processo de revisão tão rígido, não tendo o feedback tão eficiente quanto da Apple. A falta de rigor também pode levar seu aplicativo a ser aprovado sem oferecer uma boa experiência ao usuário.

Integração com outros dispositivos

Atualmente, com o avanço da internet das coisas, os smartphones não estão sendo mais utilizados sozinhos. Sincronização com desktop, tablets e wearables estão cada vez mais comuns.

Como já falamos anteriormente, a Apple fabrica os aparelhos iPhone, assim como os iPads, Apple Watch e Macs. Assim, a integração do sistema iOS do seu celular com qualquer desses dispositivos é bem melhor, já que todos são produzidos pelo mesmo fabricante.

Atender uma ligação pelo seu Apple Watch, visualizar um e-mail e começar a respondê-lo pelo seu iPhone e terminar no seu Mac é um processo muito simples. Tentar integrar um iPhone com um aparelho que não for da Apple pode trazer alguns desafios para o desenvolvimento e limitações para o usuário. 

Isso não quer dizer, necessariamente, que seja impossível usar dispositivos de marcas diferentes e que a diferença significa mal funcionamento, mas que essa integração enfrenta barreiras na integração entre os sistemas operacionais e até recursos exclusivos para cada tipo de sistema. 

apple watch e samsung gear

A situação pode ocorrer em casos de celulares Android e wearables Apple e vice-versa. Isso se dá  pelo fato de cada marca usar uma programação diferente e cada uma ter sua peculiaridades. Assim, o aproveitamento dos recursos de hardware do relógio podem se limitar por esse fator.

Veja também: Benefícios de ter um smartwatch no seu dia a dia

Experiência do usuário

O sistema Android e o iOS vêm com propostas distintas sobre a experiência que cada um proporcionará ao seu usuário.

O Android vêm com uma proposta voltada para customização do smartphone pelo seu usuário. É possível ele mudar quase tudo no aparelho, principalmente nas telas de navegação iniciais. É possível colocar os ícones da forma que o usuário bem entender, assim como utilizar widgets para personalizar. Colocar relógios interativos, previsão do tempo, tocar músicas com um clique e vários outras possibilidades. Vários dos aplicativos Android possuem widgets para facilitar seu uso.

Já o iOS vêm com uma proposta de ser simples, apresentar um design elegante e uma experiência padronizada. Em todos os iPhones as usabilidades e funções são as mesmas, o que garante que o usuário saiba utilizar todas funções, independente do modelo. É possível mover os ícones dos aplicativos, mas não da mesma forma que o Android.

Os dois sistemas apresentam assistentes virtuais inteligentes, que conseguem executar várias funções por comandos de voz.

Saiba mais: Como criar uma boa experiência onboarding em seu app 

Segurança

Em questões de segurança, os aparelhos refletem a filosofia de cada uma de suas lojas de aplicativos. Pelo fato do processo de aprovação de um aplicativo iOS ser muito mais rigoroso, burocrático e caro, eles são muito mais seguros.

As atualizações para a versão mais recente estar presente na maioria dos aparelhos é outro fator que faz com que o iOS seja mais seguro. Enquanto as para Androids se estendem a uma pequena faixa de aparelhos, como já abordado.

O Android também possui um projeto de código aberto que é possível analisar o código e modificá-lo para customizar. Mas isso o torna mais vulnerável para que pessoas com conhecimento e de má índole desenvolvam malwares.

Resumindo

ios android

O Android é o sistema operacional mais utilizado no mundo devido à abertura da Google aos fabricantes, mas o iOS ainda é muito cobiçado pelo público. Embora os dois sistemas tenham fãs, sempre é bom analisar as vantagens e desvantagens de cada um. 

Na hora de decidir qual smartphone comprar, analise suas prioridades e preferências. Há excelentes aparelhos, tanto com sistema Android quanto iOS, com tamanhos de telas e diferentes configurações.

Quanto ao desenvolvimento de aplicativos nativos, analise o seu público e identifique qual o sistema preferido dele. Conhece alguma característica que não foi abordada por nós? Deixe seu comentário! E assine nossa newsletter para receber mais conteúdos como esse!


  • Marketeam
  • Equipe de Marketing
  • Ninguém jamais deveria levar o crédito pelo trabalho de outras pessoas! Certos artigos aqui na Usemobile são criados de forma tão colaborativa que é impossível atribuir-lo a uma só pessoa. Por isso, este artigo é do time que joga na linha de frente, o Marketeam.

8 comentários no post “Android e iOS: quais suas principais diferenças?

  1. Galera partindo do mais simples entao, no sistema ios temos a mesma facilidade de comunicacao entre os apps tipo vejo um email e quero que salvar algo no drive, verificar ou transpor algo para o pdf e tals como isso acontece no ios hoje?

    1. Olá João Roberto, tudo bem?
      Não é tao simples! A convectividade entre apps deve ser tratada caso a caso pelo desenvolvedor do aplicativo de origem e destino!
      Espero ter ajudado

      Abraços!

  2. No meu ponto de vista o sistema Android do Google é mais versátil que
    o sistema iOS da Apple, e principalmente os aparelhos Android tem
    um custo geralmente menor, o que os tornam mais populares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere! Que tal assinar a nossa newsletter

Conteúdos exclusivos, dicas e eBooks diretamente no seu e-mail.