Storytelling: o que é e como implementar na sua estratégia de marketing

Tags:    

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Receba atualizações semanais no e-mail

Incluir técnicas de storytelling na estratégia de marketing deveria ser uma prioridade para empresas de todos os tamanhos. O ambiente digital está sobrecarregado de informações e conteúdo, e uma boa história é o elemento que faz a diferença para quem quer se destacar da multidão. 

Não importa se você vai fazer storytelling através de infográficos, telas de aplicativos, postagens de blog ou vídeos, o fato é que transformar dados e informações em narrativas atraentes é fundamental para qualquer estratégia de marketing.

Neste artigo, apresentaremos dicas de como implementar o uso de storytelling na sua estratégia de marketing para aumentar o engajamento e a visibilidade da sua marca. 

Por que usar storytelling no marketing?

O grande volume de conteúdo gerado todos os dias na internet tornou difícil para o público permanecer focado por muito tempo para extrair as informações de que precisa. E mais: mesmo escolher o que vai consumir no tempo que tem disponível se tornou um desafio. 

Por isso, os profissionais de marketing precisam mostrar de cara o valor das informações que querem apresentar. E isso é o que o storytelling, especialmente usando infográficos e mapas mentais, pode fazer pela sua empresa.

Com o excesso de conteúdo que os usuários enfrentam agora, para elevar suas mídias sociais ou postagens de blog acima de outras, você precisa compartilhar uma história, em vez de tentar encorajar as pessoas a comprar produtos.

As histórias são memoráveis ​​— é por isso que a literatura e o cinema continuam a ser parte integrante da experiência humana. As pessoas adoram absorver novas histórias e compartilhar essas histórias com outra. Esse tipo de marketing boca a boca é excelente para aumentar o conhecimento da marca e, eventualmente, as conversões.

Se você está se perguntando como contar histórias em marketing, explicamos a seguir o que fazer e o que não fazer nessa tática de marketing.

O que fazer e o que não fazer para contar histórias em marketing

A narrativa tem alguns elementos básicos que a tornam eficaz, e há algumas coisas a fazer e outras a serem evitadas para garantir uma campanha de marketing eficaz.

Faça do cliente o protagonista

Contar histórias em marketing não se trata de vender, mas de convencer o público a participar da sua marca.

Em essência, embora seu objetivo com cada campanha de marketing seja melhorar a presença e a receita de sua marca, a marca não é o centro da história. O cliente é.

Como você executa essa regra de contar histórias na forma de marketing? Mostre ao cliente como é o mundo dele agora e como ele melhoraria com a adição de seus produtos ou serviços.

A história é sobre a jornada do seu cliente — do conflito à resolução. Sua marca é a ferramenta que eles podem usar para alcançar a vitória — é assim que você pode melhorar suas visualizações de postagens sociais.

Uma boa prática é criar um mapa mental online colocando o seu cliente no centro, a ideia principal do mapa, e ramificar temas secundários e listar formas de desenvolver cada tópico para ter uma visão clara do caminho a percorrer e ajudar no brainstorming, como neste template abaixo:

Um mapa mental que define a metodologia design thinking

Depois de criar o esboço da sua narrativa, faça uma checklist com os aspectos principais que você precisa destacar para fazer o seu público se conectar com a sua narrativa.

Não deixe as melhores partes para o fim

As histórias devem ter começo, meio e fim, mas isso não significa que você deva começar com uma introdução longa e lenta.

Os usuários da internet mal assistem aos primeiros cinco segundos de um vídeo e raramente leem muito mais do que o título de uma postagem. Assim, para chamar a atenção deles, coloque sua mensagem mais importante na frente e no centro — especialmente na narrativa visual — antes que as pessoas possam rolar a tela ou fechar a aba do navegador.

Não perca tempo falando sobre a história: comece com sua frase de chamariz. Isso ajudará a capturar e prender a atenção das pessoas.

Agregue valor

A menos que sua empresa tenha conseguido criar um produto tão exclusivo que você não tenha concorrentes, seus produtos sempre vão competir com outros.

Como você pode fazer sua história se destacar entre os concorrentes? A maneira de atrair clientes é oferecer-lhes algum valor adicional.

Pergunte-se: como meu produto ou serviço ajuda meus clientes? Como minha empresa ajuda a sociedade em geral? Essas respostas devem estar no centro de sua narrativa de marketing e refletir claramente o seu plano de negócios.

Então dê um passo adiante:

  •  que ofertas exclusivas você pode oferecer aos clientes? 
  • O que você está fazendo que seus concorrentes não estão?

Essas são as lacunas que sua narrativa de marketing deve destacar — você pode usar um modelo de análise SWOT para examinar as lacunas no marketing que você pode explorar.

Compartilhe histórias de usuários

Mencionamos a importância de fazer do cliente o protagonista. E uma das melhores maneiras de fazer isso é tornar o cliente a cara de suas histórias.

O conteúdo gerado pelo usuário — obtido por meio de um concurso, por exemplo — é excelente para criar conteúdo dinâmico e diversificado para suas plataformas e, ao mesmo tempo, deixar seus seguidores brilharem.

Fotos e vídeos do tipo antes e depois, ou depoimentos, constituem um excelente material de marketing que permite aos clientes compartilhar suas experiências de marca. Isso tornará seu produto mais atraente para novos usuários.

Nos bastidores, olhares para a fabricação de um produto ou o funcionamento de uma empresa também podem dizer aos usuários muito sobre o espírito de sua empresa. Você pode, por exemplo, contar histórias das pessoas envolvidas em um projeto, na criação de um produto, na entrega das mercadorias ou qualquer outro processo da sua empresa. 

Para isso, crie um organograma online com personagens de determinada atividade na sua empresa e compartilhe um pouco da história de cada um deles.

Você pode fazer isso de forma mais interativa, permitindo ao usuário clicar na foto ou avatar de cada pessoa para saber mais sobre ela. Veja um exemplo de organograma visual ideal para isso:

Um organograma mostrando a hierarquia organizacional

Use o poder do FOMO

FOMO (da sigla em inglês fear of missing out), ou o medo de perder, é uma engrenagem essencial na roda do marketing e existem várias maneiras de aplicá-la em suas narrativas.

Uma maneira é contar a história de como seria a vida de alguém sem o seu produto ou serviço, apresentar uma árvore de decisão mostrando o resultado das escolhas usar e não usar o seu produto. Mas não seja dramático demais: destaque o que essa pessoa perderia.

Você também pode induzir o FOMO oferecendo descontos por tempo limitado e produtos sazonais mostrando o quão popular ou escasso é um produto.

Mas lembre-se de não exagerar no senso de FOMO. Você ainda quer que as pessoas tenham uma experiência positiva com a narrativa de sua marca.

Não se esqueça dos motivadores sociais

As emoções são a chave para contar histórias: se sua história pode evocar alguma emoção, isso é um sinal de que você criou algo atraente.

Há muito com que ficar incomodado no mundo agora. Por exemplo, você pode usar isso para reunir as pessoas em torno de uma causa próxima à sua marca. Use estatísticas convincentes para criar uma história baseada em fatos que levará as pessoas a fazer algo. Mas não parodie ou menospreze questões reais, pois isso resultará em má publicidade.

Além disso, limite quantas emoções negativas suas histórias devem evocar. Sim, a raiva e o medo são poderosos, mas o amor e a felicidade duram mais. Criar histórias que façam as pessoas se encantarem será mais eficaz a longo prazo.

Veja um exemplo abaixo de infográfico que usa dados da ONU. Ele retrata o trabalho infantil de maneira que o leitor se interessa por seguir a história e, assim, assimilar os números do começo ao fim:

Infográfico disponibilizado pela ONU sobre o trabalho infantil

Permaneça autêntico

Não prometa nada que você não pode cumprir! Não fale sobre mudanças climáticas e embale seus produtos em plástico, por exemplo. E não use um tom que seja incongruente com sua marca. Se sua marca não é baseada no humor, não seja irreverente em sua narrativa. Vai parecer falso e chocante para o público.

Não se esqueça de ouvir

Um aspecto crucial da narrativa é ouvir. Pessoas reais com emoções e necessidades leem, assistem e ouvem. Se você criar histórias sem saber o que as pessoas realmente querem de sua marca ou de suas histórias, elas vão ser ineficazes e até mesmo levar à má publicidade.

Descubra se as pessoas gostam da sua história. Se sim, então de quais aspectos eles gostam? E há aspectos com os quais eles não se conectaram? A forma de apresentar histórias funcionou para eles?

Aprenda com o feedback que você recebe para melhorar suas histórias. Você pode fazer isso criando uma pesquisa ou pedindo comentários no YouTube e nas redes sociais.

Observe o que as pessoas têm a dizer e adapte seu método de narrativa de acordo com as campanhas de marketing bem-sucedidas.

Conclusão 

Contar histórias em marketing é a melhor maneira de chamar a atenção do público e melhorar as conversões.

Mas há aspectos que precisam ser destacados, enquanto outros devem ser minimizados para que sua história seja eficaz.

A coisa mais importante que os profissionais de marketing precisam lembrar é que o protagonista da história de marketing é o cliente. Suas necessidades devem superar a necessidade de reconhecimento da marca.

Com esse pensamento no centro, você pode criar histórias poderosas que vão otimizar seu marketing e aumentar sua receita.

Este artigo foi escrito por Venngage.

Tópicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Junte-se a mais de 62.000 mil assinantes e tenha acesso a conteúdos exclusivos

Estamos contratando, venha conferir nossas vagas