charles-henry-femitaxi

Brasileiros em apps de sucesso: Charles-Henry (Femitaxi)

Na continuação da série brasileiros em apps de sucesso, entrevistamos Charles-Henry Calfat-Salem. Assim como Tallis Gomes, criador do Easy Taxi, Charles entrou para o ramo de aplicativos semelhante ao Uber. Na entrevista, o CEO do Femitaxi conta sobre como surgiu a ideia do aplicativo e dá dicas de empreendedorismo.

Entrevista com o CEO do Femitaxi

Formado em administração pela FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado, Charles-Henry Calfat-Salem é franco-brasileiro, tem 28 anos, e um espírito empreendedor. Charles é CEO do Femitaxi, aplicativo tipo Uber para mulheres criado em dezembro de 2016. Em entrevista exclusiva, ele conta como é a experiência de gerenciar um aplicativo e os principais desafios no ramo.

Como surgiu a ideia do Femitaxi?

Foi a uns 3, 4 anos atrás, eu conversava com umas amigas que passavam em casa, e a maioria delas reclamavam quando chegavam aqui. Elas se queixavam de algumas coisas, por exemplo “o motorista deu em cima de mim”, “ele pediu o meu whatsapp”, “perguntou se eu tinha namorado” etc. Elas sempre diziam como ficavam meio desconfortáveis, com medo.

Aí eu falei com elas: Alguém deveria lançar um aplicativo de mobilidade só para mulheres, com motoristas e passageiras mulheres, que aí não teria esse problema. E todas as mulheres para quem eu contei a ideia acharam uma boa, disseram que se sentiriam mais à vontade com motoristas mulheres.

Naquela época, eu registrei o nome, e guardei a ideia. Só fui realmente lançar o aplicativo no final de 2016, quando o assunto assédio nos meios de transporte estava sendo muito discutido.

Lembro que, no início, o app tinha algo como 40 motoristas, mas a ideia era tão nova que saiu em toda a imprensa. Sendo assim, desde o começo já tivemos muita demanda, e fomos lançados com um nome forte.

Quais foram as principais dificuldades que você enfrentou ao lançar o Femitaxi?

Olha, foram várias. A primeira foi o choque no início do lançamento. Hoje, se você fala de app só para mulheres, é algo normal. Mas, naquela época, no final de 2016, foi polêmico. Fomos chamados de sexistas, algumas pessoas não achavam correto separar homem de mulher. Em compensação, essa polêmica ajudou o nome do app a crescer.

Outra dificuldade foi no número de motoristas no início. Isso porque a gente lançou com um número pequeno de motoristas, já que não sabíamos que a demanda seria tão grande. Mas, depois, o número normalizou.

Além disso, quando lançamos o app, ele era só para motoristas de táxi. Elas não gostavam muito de aplicativos, por causa da modalidade de motoristas particulares. Nós precisamos investir bastante em mostrar para elas os benefícios do Femitaxi, para atraí-las.

Ao desenvolver o aplicativo, quais foram suas maiores preocupações?

Nossa preocupação foi em termos de bugs e outros problemas técnicos no aplicativo. Sabemos como isso pode ser uma experiência ruim para o consumidor, então nos preocupamos bastante com essa parte. Até porque, quem mexe com T.I. sabe que esses problemas são comuns e acontecem bastante.

Quer saber mais sobre desenvolvimento de apps? Confira esse texto!

Para você, qual a importância do marketing e de um bom lançamento para o sucesso do app?

O marketing é super importante. Divulgar o lançamento e fazer campanhas ajuda muito no caso desses aplicativos. Isso porque, ao chegar em uma nova cidade, tem aquela história do ovo e a galinha, sabe?

Por exemplo, as motoristas só querem se inscrever em apps que já possuem clientes. Por outro lado, as clientes só baixam o aplicativo quando já existem motoristas que prestam o serviço.

Assim, a gente se vê obrigado a fazer uma divulgação pesada em cima do aplicativo. Fazemos isso através de cupons de desconto, e oferecendo benefícios para as motoristas que entrarem.

narcisa-femitaxi

Você pretende expandir o Femitaxi para outras cidades e países?

Com certeza temos a pretensão de expandir. Entretanto, para atendermos bem as usuárias, precisamos desacelerar o crescimento, e focarmos no bom atendimento em um local específico.

Então, quando estivermos atendendo bem a todos os locais, vamos migrando para outros. Essa é a forma que encontramos de garantir um bom atendimento. Até porque cada cidade possui uma realidade diferente, com desafios diferentes.

Para quem tem vontade de abrir o próprio negócio, mas está com medo, qual a sua dica?

Tenho muitas dicas, mais de mil, na verdade. Mas vou falar as principais.

A primeira é ter um bom planejamento. Quando você planeja bem, descobre se o projeto é viável. Por isso, pesquisar e ter conhecimento sobre o tema é essencial.

A segunda dica é ter um aporte financeiro para o desenvolvimento. Pois, sem esse investimento, é improvável que a ideia saia do papel.

E minha terceira dica é fazer boas parcerias. Ter ao seu lado pessoas influentes é bom, porque aí o seu negócio pode crescer mais, e junto com a pessoa.

Eu poderia escrever um livro com um monte de outras dicas, mas acho que essas são as essenciais.

Carreira

Charles-Henry é franco-brasileiro. Nascido na França, ele morava no país com a mãe, e chegou a entrar em uma universidade pública francesa, para fazer Direito. Apesar disso, Charles não gostava do curso. Foi quando seu pai o chamou para morar com ele aqui no Brasil.

Charles fez faculdade de Administração na FAAP, em São Paulo, e desde que chegou aqui já possuía um espírito empreendedor. Hoje, ele possui o aplicativo Femitaxi, e também está presente no ramo imobiliário.

charles-henry

Sobre o Femitaxi

Um dos aplicativos exclusivo para mulheres de maior alcance, o FemiTaxi já está disponível em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, Belo Horizonte, Santos e Campinas.

Segundo o blog, já são mais de 200 mil downloads. O FemiTaxi possui 50 mil passageiras cadastradas na plataforma e mais de 5 mil motoristas. O app realizou 140 mil viagens em 2017, e planeja fazer ainda mais neste ano.

Além disso, o aplicativo também possui um recurso para que as mães possam acompanhar a viagem dos filhos por vídeo.

femitaxi

Fique ligado no blog e não perca as próximas entrevistas da série brasileiros em apps de sucesso.


  • Mariana Storto
  • Analista de Marketing Digital e SEO
  • Nascida no interior de São Paulo, já me tornei mineira de coração. Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto, sou apaixonada por Comunicação e Marketing Digital. "A vitalidade é demonstrada não apenas pela persistência, mas pela capacidade de começar de novo."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *