aplicativos-revolucionando-o-e-commerce

Saiba como os aplicativos estão revolucionando o e-commerce

O comércio eletrônico se estabilizou como o principal modo de compra para todos os produtos, com exceção dos perecíveis extremamente sensíveis à ação do tempo (e mesmo isso tem mudado). Podemos afirmar sem sombra de dúvida que os consumidores migraram para a conveniência, a facilidade de escolha e a acessibilidade das transações online. No entanto, o mercado em si está começando a evoluir. O e-commerce por intermédio de aplicativos mobile é a próxima grande tendência.

Pesquisas recentes apontam que os aplicativos têm se tornado rapidamente o meio preferido entre consumidores para fazer compras online, ao invés de sites para celular. Esta tendência tende a aumentar mais ainda em favor da tecnologia mobile – mais de 40% dos usuários de smartphones e tablets disseram preferir fazer compras através de aplicativos móveis do que sites adaptados para celulares; uma grande porção do mercado que vinha sendo ignorada até agora. Os números no Brasil são igualmente impressionantes: só no primeiro semestre de 2017, o e-commerce movimentou 21 bilhões de reais no país.

Nos Estados Unidos, os consumidores gastam cerca de 15 horas por semana pesquisando produtos em um dispositivo móvel, e cerca de 93% dos compradores que pesquisam um produto de um smartphone acabarão fazendo uma compra, de acordo com estudo do Google Think Insights. Além disso, a pesquisa apontou que apenas 8% dentre 7000 desenvolvedores em 127 países produzia aplicativos para e-commerce, e estes foram os que mais geraram renda líquida mensal (2750 dólares, ficando atrás somente dos jogos online), estabelecendo-se como a melhor estratégia de monetização hoje.

Aplicativos para celular são mais “amigáveis” em relação aos usuários e apresentam diferentes ferramentas, muitas dessas funcionando mesmo se você não estiver conectado a uma rede de Internet. Através dos apps você pode oferecer recursos inovadores e crescentes – em breve, as pessoas poderão ver como roupas e acessórios ficarão nelas, ou se uma peça de decoração vai combinar com o resto do cômodo, só ao utilizar os dispositivos de realidade aumentada em seus smartphones. Outro recurso é a gamificação, transformando seu aplicativo em um instrumento divertido e ao mesmo tempo impulsionando a marca e aumentando a fidelidade dos clientes em relação a ela.

Múltiplos canais no e-commerce

Se você quiser aproveitar ao máximo a presença da sua marca online, seu app deve estar ativo e otimizado para múltiplos canais. Os comparadores de preços, as opções de comércio social, os aplicativos móveis, os agregadores de produtos multi-site e as plataformas de mercado funcionam todos como motores de vendas. As 18 maiores lojas eletrônicas representam somente cerca de 44% das vendas mundiais de e-commerce, de acordo com pesquisas recentes. Mas nada disso importa se a sua marca não promover uma experiência para o cliente que seja consistente e unificada em todos esses canais. Manter tudo em sincronia é difícil, já que isso envolve desde a realização de pedidos, ativos de marca e informações sobre produtos, até a logística de remessa e gerenciamento de estoque.

E-commerce multiplataformas

Por exemplo, o aplicativo BigCommerce fornece uma central única para todos os seus canais de vendas. Além das ferramentas de gerenciamento de sites de comércio eletrônico, a plataforma se integra com o Google Shopping, Amazon, Facebook, eBay e Pinterest. Ele conecta seu inventário entre todas as lojas e mídias sociais. Você pode gerenciar as vendas em todos os canais com sincronização automática, o que lhe permite otimizar o inventário, evitar erros e precisar mexer com o cansativo preenchimento manual de dados pelo usuário.

Outro exemplo é o The Amazon App, um aplicativo único que os clientes podem usar para comprar em qualquer um dos sites da Amazon em todo o mundo. Não é surpreendente, portanto, que o app tenha sido baixado mais 100 milhões de vezes através do Google Play e tenha se tornado o aplicativo número um entre os consumidores, de acordo com a App Annie. O app da Amazon permite que os usuários busquem rapidamente, obtenham detalhes dos produtos e leiam avaliações sobre milhões de produtos vendidos pela Amazon e outros comerciantes, podendo até mesmo fazer compras com um único clique. Ele fornece a experiência de compra de celulares rápida e fácil que os compradores buscam e adoram.

Já o diferencial de aplicativos como o desenvolvido pela Starbucks, que vende aproximadamente 5 milhões de produtos por semana, reside nas promoções e nos benefícios concretos oferecidos aos clientes. Além de permitir que os clientes dispensem o cartão de crédito em favor das transições por celular, o app possui um ótimo sistema de recompensas (o My Starbucks Rewards), que permitem aos clientes coletar estrelas digitais, receber bebidas gratuitamente, recarregar contas de fidelidade, entre outros recursos.

Fidelidade e engajamento

Um grande diferencial está nos números: usuários utilizam o desktop para iniciar suas compras em ferramentas de busca (60%), procurar análises e opiniões de outros compradores (61%) e desistir de fazer a compra caso haja qualquer problema nas etapas da compra antes da venda efetiva do produto (51%). Um app móvel, com dados e personalizações devidamente registrados, elimina todos esses problemas e visa facilitar cada vez mais o processo de compra.

Uma nova (e inegavelmente eficaz) maneira de engajar seus clientes são as notificações push – 60% dos usuários as recebem e a maioria destes imediatamente interagem com um aplicativo de banco online logo após a abertura da notificação. Ao invés de serem percebidas como spam, as notificações push de fato levam a um maior número de visitas ao app e aumento nas vendas.

Praticamente todas as grandes empresas já possuem seus próprios aplicativos (o que por si só demonstra o valor desta tecnologia), e as que não puderem acompanhar esse processo ficarão para trás na competição. Um dos motivos é a facilidade com que se pode transmitir e receber feedback dos usuários. Através de um aplicativo você pode resolver dificuldades rapidamente, além de rastrear e analisar as preferências de cada comprador.

Ou seja:

Hoje, um app móvel não é apenas um acessório para a sua loja. Ele é uma ferramenta indispensável para o e-commerce e, ao que tudo indica, consistirá no seu futuro. As empresas que almejam ampliar sua presença no comércio eletrônico devem estar preparadas para aproveitar todos os benefícios oferecidos pelos aplicativos para mobile, mas é importante ter sempre em mente que não basta desenvolver um app simplesmente por formalidade, ou criar um aplicativo que sirva apenas como catálogo de seus produtos – qualquer aplicativo de compras que não for meticulosamente planejado e executado está invariavelmente destinado ao fracasso.

Os apps hoje devem permitir que o cliente faça mais do que compras: devem ser produzidos para entreter, trazer reconhecimento para a marca, criar fidelidade e, principalmente, fornecer recursos rápidos e fáceis para agilizar o processo de venda.

Você gosta do aplicativo de algum e-commerce em específico? Conte-nos a sua experiência de compra.


  • Conrado Carneiro
  • Diretor de Negócios
  • Diretor de negócios na Usemobile atua diretamente na criação de produtos: Da ideia ao lançamento. Apaixonado por tecnologia, tem como hobby o estudo de UI/UX mobile. Atleticano por opção! "As pessoas vêem aquilo que elas querem ver"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *