Entendendo a algoritmização das redes sociais

Você já se perguntou como funcionam os algoritmos das redes sociais? Ou como uma simples pesquisa no Google sobre determinado produto ou empresa se transforma em anúncios nas linhas do tempo do Instagram, Facebook, Twitter e Linkedin? A algoritmização se baseia no nosso comportamento online e se utiliza disso para rankear as publicações que aparecem nos perfis pessoais.

O crescimento das redes sociais, e o surgimento de uma sociedade cada vez mais digital, aumentou a visibilidade de pequenas e grandes empresas, que as utilizam como vitrine para a venda de produtos e serviços. Mas como os algoritmos são usados nas principais redes sociais? Confira agora.

O que são algoritmos?

Os algoritmos podem ser entendidos como um conjunto de instruções finitas para executar uma ação. Nas redes sociais, esses passos são um pouco mais complexos e envolvem outras situações. Nelas, os algoritmos funcionam como códigos que seguem uma ordem pré-definida por seu programador, podendo também usufruir da inteligência artificial para executar uma ação.

Para que o algoritmo seja completo e atinja seu objetivo, é preciso definir quais serão as variáveis inseridas para indicar até onde o algoritmo deve agir. Os comandos da repetição também devem ter atenção, pois eles são responsáveis por mostrar o que fazer quando alguma situação acontecer e o que fazer se essa situação mudar.

Os algoritmos também estão presentes nos aplicativos das redes sociais, sendo também mais uma forma de monitorar nosso comportamento online para rankear o que é mostrado no nosso feed.

Como os algoritmos funcionam nas redes sociais?

Instagram

Fundado em outubro de 2010, o Instagram é a segunda rede social mais acessada do Brasil de acordo com o site Alexa. Ele é um aplicativo de compartilhamento de fotos e vídeos, possibilitando aos usuários a difusão de ideias e hábitos.

De acordo com a Rock Content, o Instagram não utilizava algoritmos até 2016 e ainda hoje não é possível definir ao certo quais são as estratégias adotadas. Porém, é possível perceber a utilização de três princípios na classificação do que aparece primeiro na linha do tempo. São eles:

  • Cronologia: as publicações que aparecem primeiro são aquelas publicadas mais recentemente, mesmo não seguindo uma ordem cronológica.
  • Engajamento: o número de curtidas e comentários se mostram essenciais no rankeamento das publicações; aquelas que engajarem um maior número de pessoas, principalmente perto da hora da postagem, aparecerão primeiro. É importante lembrar que as curtidas foram ocultadas dos usuários. Assim, somente o dono de uma publicação pode vê-las, apesar de exceções. Mas isso não impede o rankeamento de acordo com o engajamento, pois estes dados também são visíveis para o algoritmo.
  • Interação: o Instagram destaca as publicações de perfis com os quais existe uma maior interação e engajamento, seja via curtidas, comentários, mensagens ou buscas.

A ordem em que aparecem os Instagram Stories também segue a linha de princípios das publicações feitas no feed. Assim, apesar de seguir uma ordem de tempo, dá destaque aos stories de quem tem mais engajamento com o usuário.

Facebook

O Facebook, a exemplo do Instagram, é uma rede social que permite o compartilhamento de fotos e vídeos. Para além disso, também é possível compartilhar textos, criar eventos, páginas e grupos. Ainda segundo o site Alexa, ele é a rede social mais acessada no país.

O Facebook foi a rede social pioneira na utilização de algoritmos para definir a prioridade das publicações. Até hoje não se sabe como o rankeamento delas é feito, mas a Rock Content levanta alguns fatores devem ser levados em consideração:

  • o grande número de postagens a serem mostradas ao usuário;
  • quem postou o conteúdo e qual seu nível de engajamento com determinada pessoa ou marca;
  • o engajamento que o usuário pode dar a determinada publicação, baseado no seu comportamento;
  • as interações da rede de amigos com determinada postagem.

O Facebook usa um sistema de relevância de postagem. São levados em conta: o nível de informação presente; possibilidade de engajamento e recebimento de cliques; autenticidade e o tempo que o usuário destina àquela publicação.

Twitter

Terceira rede social mais usada no Brasil, de acordo com Alexa, o Twitter pode ser considerado como uma mistura de rede social com blog, onde os usuários podem escrever tweets de até 280 caracteres (inicialmente era possível escrever apenas 140).

Ao contrário do Instagram e do Facebook, o Twitter não comanda o seu feed totalmente através de algoritmos, como aponta a Rock Content. Essa rede social se baseia nos temas que interessam ao usuário, o relacionamento dele com a conta que postou um determinado tweet e o engajamento.  

Ainda segundo a empresa de marketing de contéudo, o Twitter criou três categorias de tweets que facilita o entendimento do conteúdo que é postado:

  • Tweets rankeados: a rede seleciona alguns tweets e os apresenta ao usuário logo que o aplicativo ou site é aberto. Essas publicações são escolhidas com base no comportamento do usuário e no engajamento que a postagem teve entre sua rede de seguidores.
  • Caso você tenha perdido: é uma seção criada para que o usuário tenha acesso à conteúdos passados, mas que de acordo com seu comportamento e engajamento são temas de interesse.
  • Timeline do Twitter: é a página inicial da rede social, onde é possível encontrar os tweets feitos por quem o usuário segue em ordem cronológica inversa. Também aparecem contas sugeridas e anúncios baseados no que interessa o “dono” daquela conta.

Linkedin

O Linkedin é considerada a maior rede social profissional do mundo e líder no marketing B2B. O Brasil foi o país com o maior volume de usuários da rede social em 2016, totalizando 25 milhões número de usuários. Ela também funciona a base de algoritmos, mas como eles funcionam?

 Uma postagem tem sua relevância identificada, segundo a Rock Content, a partir de:

  • Avaliar do conteúdo: o Linkedin tem um algoritmo que avalia o que foi publicado na plataforma e divide este conteúdo em três grupos: spam, baixa qualidade ou bom;
  • Engajamento: após serem postados, os conteúdos passam por uma avaliação de engajamento inicial. Aqueles com um bom nível de engajamento são entendidos como conteúdos positivos;
  • Conferir postagens virais: postagens com muitos likes e comentários passam por uma conferência de autenticidade. Assim é possível saber se as contas que interagiram com o conteúdo são legítimas;
  • Revisar o conteúdo: aquelas publicações que tiveram sucesso nas fases anteriores de relevância, são avaliadas por funcionários que as analisam de forma individual. A partir dessa fase, o conteúdo que for avaliado como bom tem seu “tempo de vida” aumentado. Assim, ele continua recebendo prioridade mesmo dias após sua publicação.

Alguns fatores de engajamento e uso são levados em consideração ao organizar o feed. O nível do perfil, a atividade desse usuário na rede, conexões, além de local de trabalho e área de atuação. Assim, os conteúdos mostrados são de interesse de cada usuário.

Dicas para usar os algoritmos a seu favor

As redes sociais são essenciais em negócios atuais. Mas como performar bem nelas e atingir objetivos e metas? Aqui estão algumas dicas:

  • Descubra os melhores horários de postagem: é importante entender em quais momentos as publicações têm maior engajamento;
  • Invista em conteúdos que atraiam a interação: a utilização de Call to action (CTA) e utilização de ferramentas da própria rede são um bom exemplo;
  • Interaja com o seu público: se o perfil da marca foi mencionado ou se alguém fez um comentário, responda;
  • Invista em conteúdos: mostre a personalidade da marca e seus colaboradores. Crie conteúdo original de interesse do seu público, mas também compartilhe outros conteúdos interessantes que tenham o mesmo público, dando, é claro, os devidos créditos;
  • Use hashtags: as hashtags aumentam o alcance de uma publicação e facilita em sua localização;
  • Invista em vídeos curtos e gifs: são elementos de fácil consumo e prendem a atenção.

Leia também: como o marketing pode ajudar na retenção de usuários nos aplicativos?

Por fim

As redes sociais utilizam os algoritmos como maneira de personalizar seu conteúdo. Elas são a forma de comunicação bastante presente nos cotidianos e podem ser usadas por usuários individuais e por empresas. Assim, o entendimento de como os algoritmos funcionam pode ajudar na decisão de temáticas e formatos a serem postados nas redes.

Pronto! Agora você sabe como os algoritmos funcionam e como performar bem nas redes! Se gostou do conteúdo, assine nossa newsletter para ter acesso a mais conteúdos como este.


  • Julia Carvalho
  • Assistente de mídias sociais
  • Estudante de jornalismo apaixonada por contar histórias e vivenciar novas experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *