5G: o que é e como ela vai mudar o mundo

No ano passado, algumas empresas de telefonia espalhadas pelo globo começaram a implantar a tecnologia de rede sem fio 5G. Ela irá permitir velocidades de conexão de até 10Gbps. Ou seja, será 100x mais rápido que a 4G LTE. Essa tecnologia de rede será implantada inicialmente para conexões residenciais fixas, mas em breve estará disponível para redes móveis.

Para alguns a velocidade da 5G pode parecer um exagero. Afinal, o 4G LTE já é muito rápido para se navegar na Internet, jogar games, fazer upload de imagens para o Instagram/Snapchat, ou até mesmo para transmitir vídeos em HD e ouvir músicas.

Mas como os futuristas, tecnólogos e sonhadores entre nós sabem, o 5G não veio para suportar as aplicações de hoje. Em vez disso, a 5G se tornará a infra-estrutura de suporte para uma variedade de aplicativos futuristas. Muitos dos quais estamos apenas começando a nos envolver.

Nesse post vamos falar o que é a conexão 5G e quais principais tecnologias que vão se beneficiar dela.

O que é a internet 5G?

A promessa é que, a 5ª geração de internet para dispositivos móveis, será muito mais rápido para download e upload de dados, com maior cobertura e conexões mais estáveis. É tudo sobre como fazer melhor uso do espectro de rádio. Assim permitindo que muito mais dispositivos acessem a Internet ao mesmo tempo.

A internet 5G inicialmente irá funcionar em conjunto com as redes de 4G, antes de evoluir para uma rede completamente independente. A latência é o tempo gasto para que os dispositivos respondam uns aos outros pela rede sem fio. As redes 3G tiveram um tempo de resposta típico de 100 milissegundos, 4G em torno de 30 milissegundos e 5G será tão baixo quanto 1 milissegundo. Isso é praticamente instantâneo abrindo um novo mundo para dispositivos conectados.

Principais diferenças entre 5G e 4G

As principais diferenças estariam na velocidade e latência – conexões 5G serão exponencialmente mais rápidas. Porém, você pode não notar velocidades muito maiores no início, Isso se dá, porque o 5G provavelmente será usado pelas operadoras de rede inicialmente como uma forma de aumentar a capacidade nas redes 4G (LTE – Long-Term Evolution) existentes, para garantir um serviço mais consistente para os clientes.

A velocidade que você terá dependerá de qual banda de espectro o operador utiliza a tecnologia 5G e quanto sua operadora investiu em novos transmissores.

Tecnologias que se beneficiarão da internet 5G

A 5G possibilitará conexões instantâneas de bilhões de dispositivos, a Internet of Things (IoT, sigla para “Internet das Coisas” traduzido para o português) e um mundo verdadeiramente conectado.

Abaixo algumas das tecnologias que só serão possíveis através de uma conexão 5G:

Carros autônomos

Desde que a humanidade sonha com um futuro tecnológico, carros autônomos estão presente nesse sonho. E se você acompanha os jornais, está vendo que alguns fabricantes de automóveis como a Tesla estão perto de tornar esse sonho em realidade. Porém, existem alguns aspectos que atrapalham o caminho da humanidade até os carros autônomos a infra-estrutura de rede móvel.

Os carros autônomos exigem grandes capacidades de supercomputação para entender os dados gerados pelas câmeras visuais, radares, lidares e sensores ultrassônicos. Como a tecnologia de rede móvel de hoje não é rápida o suficiente para transmitir esses dados. Isso faz com que a capacidade de processar os dados seja feita no veículo.


Posição e alcance dos sensores do Tesla Autopilot (fonte: tesla.com)

É por isso que o supercomputador autônomo da Tesla tem o poder de 150 MacBook Pros. Assim, você consegue imaginar, ter não apenas os sensores, mas um supercomputador a bordo, pode tornar a tecnologia de direção automática inviável tanto para os fabricantes quanto para os seus clientes. Imagina quanto custará um carro com 150 MacBooks?

Além do custo, a segurança e o desempenho são outros fatores que podem impedir que os carros autônomos alcancem o status de “popular”. Por isso, Carros autônomos até podem dirigir melhor que a média humana nos modelos de testes atuais, mas precisam ser ainda melhores para atender às aprovações regulamentares. É aí em que a conexão 5G se encaixa.

Carros autônomos e 5G

Com velocidades de até 10 Gbps, o 5G irá permitir que todos esses dados de vários sensores sejam transmitidos pelo ar para serem processados na nuvem, essencialmente em tempo real. Isso traz diversos benefícios, dentre eles:

  • Os fabricantes de carros não precisam construir supercomputadores ambulantes. O que ajudará a manter os custos baixos.
  • A capacidade geral de processamento (pela nuvem) deverá superar o processamento atual.

Este último pode permitir a introdução de mais dados para melhorar ainda mais a segurança e o desempenho. Imagine se o seu carro não usasse apenas propios os dados sensoriais, mas o dos outros veículos próximos. A hora do rush em São Paulo, por exemplo, iria parecer com uma orquestra tocando Beethoven.

Internet of Things (IoT)

Provavelmente você já ouviu, ou consegue imaginar, diversos dispositivos domésticos conectados à internet e utilizando da Nuvem para obter inteligência e melhorar ainda mais a nossa vida. Porém, hoje a IoT ainda está em sua infância.

Alguns exemplos de IoT hoje são o Google Home e Alexa, que respondem à sua voz com uma inteligência baseada em nuvem.

Tais tecnologias são capazes de se conectar com seu smartwatch, que permite executar versões personalizadas de aplicativos conectados à Internet, como o Spotify ou o Whatsapp, bem como seus aplicativos nativos de saúde, fitness e relógio.

Também considerado IoT estão lâmpadas e termostatos “inteligentes” que podem ser controlados e automatizados a partir da nuvem. E menos conhecidos estão os dispositivos industriais e agrícolas. Por exemplo, considere um sensor de umidade do solo em um vinhedo que possa transmitir dados da umidade para a nuvem para processamento.

IoT e 5G

Quando o 5G for realmente implementado, a IoT entrará na puberdade, e vai crescer rapido. O enorme aumento do desempenho da rede irá permitir que os dispositivos trasmitam dados maiores com mais velocidade, confiabilidade e em grande escala. Então, essa rede robusta também mudará a maneira de como os dispositivos de IoT abordam o processamento e armazenamento de dados.

Os dispositivos IoT de hoje, ainda são muito dependente da capacidade de computação integrada e dos dados armazenados. Isso se dá, porque as redes atuais ainda não são capazes de fornecer o processamento imediato e as larguras de banda necessárias para o desempenho ideal dos aplicativos.

No entanto, no futuro os dispositivos de IoT não exigirão tanto poder de computação de dados. Pois, quase todo o processamento ocorrerá na nuvem quase instantaneamente através das redes 5G.

Essa mudança permitirá que os dispositivos de IoT se tornem menores e simples, já que serão pouco mais do que sensores e dispositivos de rede. Assim, os custos de produção serão menores, facilitando assim a implementação em todos os tipos de casos de uso. Considerando isso, é fácil entender por que a Gartner estima que até 2020 haverá 20 bilhões de dispositivos conectados à IoT no mundo.

Entregas por Drone

Não seria bom se o seu restaurante favorito do outro lado da cidade pudesse entregar refeições quentes e frescas a qualquer hora do dia, mesmo quando o trânsito estiver lento ou quando os motoristas do Uber Eats estiverem em greve?

No futuro, drones serão implantados para trazer mercadorias diretamente para vocês – sem várias paradas para servir dezenas de outros clientes ao longo do caminho. Mas, por mais poderosos e mecanicamente capazes que os drones sejam, atualmente eles não são capazes de pilotar a si mesmos para seus destinos. Por consequência, é impossível que não hajam colisões com outros drones ou objetos que possam atrapalhar.

Não há uma maneira fácil de dar a um robô a inteligência de pilotar a si mesmo sem sobrecarregá-lo com equipamentos de processamento e navegação visuais volumosos e pesados. Por consequência, um drone pesado e volumoso não seria capaz de sair do chão, muito menos com sua encomenda da Amazon.

Quando a 5G vai chegar no Brasil?

Grande parte dos países não deve lançar serviços 5G antes de 2020, mas a Ooredoo, do Catar, diz que já lançou um serviço comercial, enquanto a Coréia do Sul pretende lançar este ano ainda, com as três maiores operadoras concordando em começar. A China também está correndo para lançar serviços ainda em 2019.

Já por aqui, as coisas devem demorar um pouco mais. A implementação da tecnologia 5G depende da Anatel, agência reguladora da telefonia no país. Assim, por mais que 2019 possa vir a ser o ano do 5G, é pouco provável que chegue a uma grande parte dos consumidores antes de 2020.

Conhece alguma outra aplicação dessa tecnologia? Quando você acha que o 5G pode chegar ao Brasil? Conte nos comentários o que você pensa sobre o assunto, e não se esqueça de assinar nossa newsletter!


  • Vitor R. Galante
  • Analista de Inteligência Comercial e Marketing.
  • Viciado em novas tecnologias, adoro e me entusiasmo com novidades. Escrever artigos sobre os mais diversos temas tecnológicos me traz paz de espirito. Morar, trabalhar e estudar em Ouro Preto me fez entender que tradição e inovação podem sim andar juntas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *