Tendências na Telemedicina: Um novo jeito de salvar vidas

O investimento mundial em tecnologias de Telemedicina, incluindo hardware, software e serviços, foi de 24,9 bilhões de dólares em 2016. A expectativa de crescimento anual é de 18,3%, o segmento já representa cerca de ¼ no mercado de TI mundial.

Alguns pioneiros já iniciaram a implementação de novas tecnologias e neste artigo iremos apresentar os principais destaques dessa nova tendência global.

Principais tendências de telemedicina

Cuidadores virtuais

Este tipo de assistência conta com análise de Inteligência Virtual (AI). Considerando diferentes parâmetros, pacientes idosos poderão envelhecer com segurança em suas casas com um tratamento apropriado, por exemplo. 

Addison é a primeira cuidadora virtual do mundo. Lançado nos Estados Unidos, o aplicativo já possui mais de 100.000 de usuários/pacientes. A assistente virtual conta com uma pulseira fitness que monitora e grava diferentes medições de saúde, possibilitando a opção de receber mensagens de voz e lembretes para o uso de medicamentos. O aplicativo também permite que o paciente se conecte a um médico ou serviço de emergência personalizado, a qualquer momento que precisar.

Telemedicina salvando vidas em locais remotos 

Não é nenhum segredo que existem muitos lugares onde o acompanhamento médico ainda é inacessível, ao redor do mundo. Telepacientes, com a facilidade da internet e smartphones poderão se comunicar com seus médicos a qualquer momento, com monitoramento constante.

Este passo pode parecer simples, mas já salvou muitas vidas e mudou os parâmetros da saúde chinesa. O Brasil já possui legislação para este serviço.

Coleta de dados do paciente e Health Analytics

Dispositivos smart modernos dão monitoramento e recomendações de saúde 24 horas por dia, 7 dias por semana. Pulseiras fitness e smartwatches são capazes de contar batimentos cardíacos, pressão arterial, temperatura do corpo e outras medições que são enviadas diretamente para o médico.

Mesmo que você não tenha uma condição de saúde mais delicada, o monitoramento constante pode evitar stress e sobrecarga corporal. Com o uso dos algoritmos big data, a análise de informações pode te alertar sobre irregularidades recentes em seu corpo.

Realidade Virtual e Realidade Aumentada para a mente

Pesquisas tem sido realizadas ao redor do planeta utilizando tecnologias de realidade virtual e realidade aumentada, para ajudar pacientes de Alzheimer e até mesmo para dar diagnósticos precoces. Apesar de estarem em fase de teste, muitos resultados já mostraram uma melhora significativa no bem estar dos pacientes. 

É um campo que está em crescimento exponencial e pode se estender para outras áreas da saúde mental, como tratamento de transtornos psicológicos e outras doenças degenerativas. Um potencial campo que segue em avanço.

Mobilidade e acesso por nuvens

Alguns hospitais, clínicas e companhias de seguro já armazenam todos os dados de seus pacientes nas nuvens. Isso torna a informação estatística muito mais acessível. Dados poderão ser usados para análises a partir de qualquer smartphone ou computador que possua o aplicativo instalado.

Além do atendimento à distância, médicos também usam aplicativos para manter os registros dos pacientes para consultar e processar seus dados. Clínicas podem publicar exames médicos online, eliminando a necessidade do paciente enfrentar filas para buscar seus resultados.

Os profissionais da área afirmam que essa tecnologia é uma significativa prevenção de esgotamento, permitindo que possam dar foco em melhorar o atendimento de pacientes presenciais e de emergências. 

Diagnósticos por AI

Inteligências artificiais são muito melhores que seres humanos na detecção de padrões e isso as torna extremamente efetivas em diagnósticos. Por exemplo o software IDx-DR que é capaz de detectar retinopatia diabética, uma doença ocular, através de fotos da retina do paciente. Basta o médico ou enfermeiro enviar as fotos da retina para o algoritmo que fará a análise.

Durante os testes, o programa conseguiu atingir uma taxa de acerto de 87% para os casos de enfermos, além da taxa de 90% de acertos para pacientes que não apresentavam a doença. 

A cereja do bolo é que o software não exige muito treinamento, tornando seu uso acessível para enfermeiros e médicos que não são especializados em Oftalmologia. 

Investir em telemedicina: benfeitoria e terreno fértil 

Atualmente a Telemedicina está na nas primeiras posições do mercado digital. Cerca de 60% dos millennials já estão dispostos a incluir ela em sua rotina diária. Além disso, a Telemedicina faz com que a saúde seja muito mais acessível, inclusiva e imediata.

Já vivemos nos tempos modernos e devemos usar a tecnologia a nosso favor, em todos os aspectos. Investir neste tipo de projeto, é investir no aumento da qualidade de vida das pessoas e em um futuro mais desenvolvido. Consequentemente você irá gerar bons frutos, afinal se trata de uma demanda alta e muito nova, que certamente terá um relevante espaço na cultura digital, a oportunidade de fazer parte dos pioneiros na área está logo aqui e agora.

Entre em contato e peça já um orçamento


  • Lucas Figueiredo Lima
  • Designer
  • 27 anos, graduando em Jornalismo e designer em constante formação. Acredito que a tecnologia e a informação são os principais pilares para a construção de um mundo mais acessível e inclusivo para todos. "Design cria cultura. Cultura molda valores. Valores determinam o futuro.” (Robert L. Peters)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *