Ciclo de vida de um produto: Do desenvolvimento ao declínio

Quem nasceu na década de 90, ou antes, tem uma sensação que os produtos de hoje duram pouco. Mas, esse “entra e sai” se tornou tão comum que nem pensamos tanto nele. Com isso surgem as perguntas, como as empresas sabem a hora de abaixar o preço de um produto? E, quando é a hora de tirar-lo da prateleira? Para entender essas questões precisamos nos aprofundar em um conceito chamado ciclo de vida de um produto.

Ciclo de vida de um produto: o que é, onde vive, do que se alimenta?

O ciclo de vida de um produto é um modelo criado para explicar, através de 5 etapas, como o mercado vai reagir ao produto. Ele auxilia o empreendedor na hora de tomar decisões, pois com este modelo você será capaz de saber se seu produto está engatinhando ou se está em fase terminal. É a história do produto contada através dos dados de venda.

Quais são as 5 etapas do ciclo de vida de um produto?

As 5 etapas do ciclo de vida de um produto são:

  • Desenvolvimento;
  • Introdução;
  • Crescimento;
  • Maturidade e;
  • Declínio

Com essas etapas você terá uma forma mais palpável de enxergar como seu produto vai se encaixar no mercado. Além disso, ajudará em tomadas de decisão do marketing como:

  • Está na hora de diminuir o preço?
  • Devo aumentar os investimentos em Publicidade?
  • Já está na hora de retirar o produto do mercado?

O ponto forte desse modelo é para tomada de decisões do mercado, ou seja, decisões de marketing.

As 5 Etapas do ciclo de vida de um produto em detalhes

0 – Desenvolvimento

Essa etapa se resume a tirar sua ideia da cabeça e colocar no papel ou amadurecer a ideia.

O desenvolvimento do produto é uma etapa muito importante, pois nela você irá buscar entender sobre a viabilidade do seu produto. Nesta etapa as vendas não existem, e o principal objetivo é validar sua ideia.

Seu produto ainda não está no mercado.

1 – Introdução

Seu produto foi lançado ao mercado.

Nesse período o crescimento, geralmente, é lento. As vendas começaram e seu produto acabou de chegar ao mercado. Por isso, ainda está em fase de validação de algumas hipóteses. Nessa hora é importante investir no marketing e ter KPIs (indicadores de performances) para auxiliar tomada de decisões. Os seus esforços nessa etapa devem se concentrar no topo do funil, pois agora o importante é criar brand e ser reconhecido.

Nessa etapa é comum haver prejuízo, mas isso não significa que está dando errado, seu produto pode só ser uma estrela (explicação no próximo tópico).

2 – Crescimento

As pessoas agora conhecem sua marca, reconhecem sua solução e precisam dos seus serviços.

A etapa de crescimento é um período de rápida aceitação do mercado e lucros crescentes. Neste momento seus esforços devem ser focados em fidelização, já que, provavelmente, mais pessoas estão procurando seu produto.

Ao mesmo tempo, começam a aparecer concorrentes para o seu produto a medida que ele se torna mais conhecido. Os investimentos em marketing são para se manter no topo.

3 – Maturidade

Seu produto se torna um dos líderes do seu segmento.

Durante o estágio de maturidade, o produto é estabelecido e o objetivo do fabricante é agora manter a participação de mercado que construíram. Este é provavelmente o período mais competitivo para a maioria dos produtos e as empresas precisam investir com sabedoria em qualquer marketing que realizem. Eles também precisam considerar quaisquer modificações ou melhorias no processo de produção que possam lhes dar uma vantagem competitiva.

4 – Declínio

O fim de uma dinastia. Máquinas de fax viram seu fim, secretárias eletrônicas também e provavelmente seu produto também irá.

Eventualmente, o mercado de um produto começará a encolher, e isso é o que é conhecido como o estágio de declínio. Esse encolhimento pode ser devido ao mercado ficar saturado (ou seja, todos os clientes que comprarão o produto já o compraram) ou porque os consumidores estão migrando para um tipo diferente de produto. Embora esse declínio possa ser inevitável, ainda é possível que as empresas obtenham algum lucro mudando para métodos de produção menos caros e mercados mais baratos.

Ciclo de vida & Matriz BCG

O ciclo de vida do produto sozinho não traz resultados excepcionais, por isso é aconselhado a usá-lo em conjunto com a Matriz BCG.

A matriz BCG é uma metodologia de análise, criada por Bruce Henderson, para a empresa de consultoria empresarial americana Boston Consulting Group em 1970. Sua principal função é analisar os diversos aspectos de um produto.

Como podemos ver acima a matriz é dividida em 4 quadrantes: interrogações, estrelas, vacas leiteiras e abacaxis.

Interrogações

As interrogações são produtos quem ainda não existem no mercado ou acabaram de entrar. Não existem muitos dados disponíveis sobre esses tipos de produtos para dizer se eles serão uma nova tendência ou se estão fadados ao fracasso. O objetivo das empresas que lançam interrogações é transformá-las em vacas leiteiras ou estrelas.

Vacas leiteiras

As vacas leiteiras são aqueles produtos que já estão consolidados no mercado. Eles, provavelmente, correspondem a maior parte do faturamento da empresa. A perda de uma vaca leiteira pode ser fatal para uma empresa. Por isso, ter mais de uma vaca leiteira é considerado uma ótima pratica entre empresas.

Estrelas

Estrelas são os produtos que levam a cara da empresa, os chamarizes. Uma estrela vende bastante, porém tem custo alto para se manter no topo. Um produto desse tipo, se bem trabalhado, tem como objetivo final se tornar uma vaca leiteira.

Abacaxis

Por fim os abacaxis, estes são caros para ser produzidos e possuem pouco tempo de vida restante. Além disso, são caracterizados por não gerarem lucros para empresa. Assim, o certo é se livrar dos abacaxis em sua empresa, persistir com eles pode ser um grande desperdício de tempo e dinheiro. Recomenda-se investir em estrelas e se livrar dos seus abacaxis.    

Gráfico do ciclo de vida de um produto

Não existe um regra fixa que pré-determine o tempo de cada fase. Isso varia muito de produto para produto. Existem produtos que vão ser facilmente aceitos no mercado, mas sua fase de maturidade pode demorar a chegar. E, existem produtos que irão chegar ao mercado, mas vão demorar para serem aceitos, por serem difíceis de entender, ou mesmo, por serem uma demanda que ainda está no começo.

A importância do ciclo de vida de um produto

O ciclo de vida de um produto alinhado a matriz BCG dá insight sobre como agir perante o mercado.

Olhando pelo viés do marketing por exemplo. Sabendo em qual etapa seu produto se encontra você consegue direcionar os esforços para ser mais assertivo. Isto é, se seu produto é uma interrogação e se encontra na etapa de introdução significa que seus esforços em marketing devem ser para construir a marca e educar o mercado. Mostrar ao mercado que eles possuem uma dor e que você tem a melhor solução.

Já olhando pelo viés de venda. Seguindo o exemplo acima, se seu produto está nessa fase inicial não se deve focar em produção em larga escala, pois o mercado ainda não usa sua solução. O estoque pode se manter menor (em caso de um produto estocável) ou então não precisa contratar servidores dedicados, pois existem poucos acessos ao seu software (em caso de um Software como serviço).

Então o ciclo de vida de um produto e a matriz BCG podem ser ferramentas incríveis para os líderes de qualquer tipo de empreendimento. Auxiliando a entender seu posicionamento no mercado e ajudando a tomar decisões que serão vitais para seu empreendimento.

Exemplo de Ciclo de vida de um produto

Esses exemplos ilustram os estágios do ciclo de vida de um produto para mercados específicos em mais detalhes.

  • Nearby connection: Pagamentos por proximidade é uma tecnologia que está em seu começo. Na China já é muito utilizada, porém no resto do mundo ainda está sendo implementado. Suas aplicações ainda estão sendo testadas pelo mundo, como a loja de teste da Amazon. Esse produto se encontra na fase de desenvolvimento.
  • Pagamentos online: Apesar de ser uma forma utilizada entre os jovens, ainda é pouco difundido entre as pessoas mais velhas que estão se acostumando a fazer pagamentos e transferências online. Vemos um crescente número dos serviços de intermediadores de pagamentos. Esse produto se encontra na fase de introdução.
  • Cartões de crédito/débito: Este tipo de pagamento já está altamente difundido e cresce a cada dia mais. Às vezes nos assustamos quando um local não aceita pagamento em cartão. Esse produto se encontra na fase de crescimento.
  • Dinheiro: Todos utilizam. Mas, só o utilizam pois ainda tem locais que não aceitam as soluções anteriores, estando consolidado no mercado. Apesar de céticos falarem que é um meio de pagamento que nunca vai morrer, vemos a cada ano diminuir este meio de pagamento. Esse produto se encontra na fase de maturidade.
  • Cheque: Poucos estabelecimentos aceitam cheques. Novos bancos digitais nem possuem a opção para este tipo de pagamento. Esse produto se encontra na fase de declínio.

O exemplo acima pode não ser um produto feito por uma empresa de fato, mas ele ilustra bem o que é cada etapa do ciclo de vida de um produto. E você conhece algum outro produto que se encontra dentro de alguma dessas fases? Deixe aqui nos comentários, qualquer dúvida entre em contato conosco!!


  • Vitor R. Galante
  • Analista de Inteligência Comercial e Marketing.
  • Viciado em novas tecnologias, adoro e me entusiasmo com novidades. Escrever artigos sobre os mais diversos temas tecnológicos me traz paz de espirito. Morar, trabalhar e estudar em Ouro Preto me fez entender que tradição e inovação podem sim andar juntas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *