Como terceirizar o desenvolvimento de aplicativos?

Tags:    

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Receba atualizações semanais no e-mail

2019 colecionou 115 bilhões de downloads de aplicativos, segundo a Sensor Tower. Tendo em vista que haviam somente 500 aplicativos na App Store em 2008, conforme a Apple, podemos concluir que os aplicativos tiveram grande adesão. Afinal, o mercado de smartphones se tornou rentável, se tornando uma estratégia de aproximação com clientes e até mesmo ferramentas para as corporações. Assim, os softwares mobile mostram a força que possuem nos cotidianos atuais, fazendo as corporações considerarem o outsourcing de aplicativos, vulgo a terceirizar o desenvolvimento de aplicativos.

Afinal, existem muitos benefícios na terceirização de TI, indo desde o foco no core business até a escalabilidade do aplicativo e do negócio. Continue lendo e saiba o que considerar antes do outsourcing de aplicativos.

Por que terceirizar o desenvolvimento de aplicativos?

A resposta será simples e direta: foco. O que mais importa é seu negócio e, portanto, terceirizar o desenvolvimento de aplicativos evita que você desvie sua atenção do que não pode ficar desassistido.

Se você é excelente na venda, marketing ou em promover inovação, não perca tempo fazendo o aplicativo ou contratando desenvolvedores para sua empresa. Vá direto ao ponto e contrate quem já tem toda a estrutura necessária para criar seu aplicativo. Garanto que será muito mais rápido e olha que criar um app é, por si só, uma tarefa que leva semanas de dedicação.

Portanto, se o desenvolvimento já demanda tempo, seu negócio não pode ficar esperando. Imagino que você acredite na máxima do “tempo é dinheiro”, então, a opção de economizar tempo é mais coerente consigo mesmo.

Contudo, a escolha de quem vai assumir o desenvolvimento por você deve ser cuidadosa para evitar que o tempo se alongue e dores de cabeça, como veremos a seguir.

Critérios de avaliação das empresas de apps

Antes de embarcar no que é preciso ser avaliado na empresa a ser terceirizada, é importante ter em mente quais são as necessidades do seu negócio, objetivo com o aplicativo, funções que ele irá desempenhar, qual problema o software mobile irá resolver e afins. Isto é, ter em mãos o plano de negócios e o escopo do app.

A falta de sinergia entre projeto e a empresa é sinônimo de problema, e você não quer um aplicativo fadado ao fracasso.

Experiências e portfólio

Conhecer a expertise esbarra nas experiências da empresa. Afinal, quanto mais prática, maior a expertise. Assim, busque conhecer os outros aplicativos desenvolvidos pela empresa e as avaliações, números de downloads e comentários realizados pelos usuários. Outro ponto relevante é compreender como o app se destaca nas lojas de aplicativos: se existem muitas reclamações, existe uma probabilidade do problema ser o desenvolvedor.

Por outro lado, se houver um volume bom de instalações e boas avaliações, a probabilidade de ser fruto de um código bem desenvolvido também é grande. Claro que existem muitos braços envolvidos no desenvolvimento e manutenção de um aplicativo. Exemplo: um app pode ser muito bom, mas o atendimento ao usuário pode ser ruim e isso gerar uma má avaliação. Isso quer dizer que quem desenvolveu é culpado? Não! Portanto, parcimônia na hora de fazer ponderações.

E nunca deixe de conferir quem são os clientes da empresa desenvolvedora. Bons testimoniais e marcas relevantes são excelentes provas sociais para confirmar a qualidade da empresa. Quer testar? Cheque a home da Usemobile.

Custo-benefício

O desenvolvimento de aplicativos pode ser feito de forma remota. Logo, é possível contratar empresas do mesmo país ou então de um outro continente.

Ao escolher empresas de diferentes países, leve em conta a moeda, o quanto ela custa e a taxa de câmbio, e também as barreiras de cultura e de linguagem. Entenda melhor lendo sobre os tipos de outsourcing: onshore, nearshore e offshore.

Além disso, compare os valores entre o outsourcing de aplicativos com a contratação de um time in-house para o trabalho. Optar pelo outsourcing garante um valor menor, pois não inclui valores referentes aos gastos trabalhistas e salários, compra de equipamentos, orçamento de infra-estrutura e afins.

Vale a pena ressaltar que o in house recuou 17,5% desde 2010 à 2018, segundo a Brasscom. Isso significa que o outsourcing de TI tem ganhado espaço frente à contratação in house, o qual avançou 16,5% neste mesmo período.

Outra curiosidade é que, segundo a consultora Kearney, o Brasil é o nono melhor país para offshore — ranking liderado pela Índia. No entanto, as terras verde e amarelo produzem mais TI do que o país indiano, totalizando 99,5 bilhões de dólares em 2018 contra 86,5 bi da Índia.

Atualização das tecnologias

Ano após ano nós vemos diversos lançamentos tecnológicos, especialmente em eventos como os promovidos pelo Consumer Technology Association (CES), dentre muitos outros de realizações regulares. Portanto, novas tecnologias e tendências estão em constante desenvolvimento.

Por isso, segundo o diretor de negócios da Usemobile, Conrado Carneiro, “as soluções de desenvolvimento terceirizadas aumentam por causa da velocidade que a tecnologia avança. É muito difícil para uma empresa cumprir essa missão e garantir que a tecnologia seja de ponta”. Nessa lógica, procure pela empresa que seja atenta às mudanças e que possa garantir qualidade tecnológica e modernização.

Segurança

Roubo de senhas e vazamento de dados pessoais, infelizmente, vêm sendo frequentes. Em janeiro de 2021 houve um vazamento que comprometeu 220 milhões de brasileiros, como dito no Boletim Debugados. Para evitar que esses problemas aconteçam, o primeiro passo é que os desenvolvedores tenham plena experiência e conhecimento das boas práticas de configuração de servidor, por exemplo, para evitar falhas na cibersegurança.

Leis como a LGPD, no Brasil, e a GDPR, na Europa, surgiram para resguardar os usuários e punir aqueles que deveriam protegê-los. E ninguém quer sofrer penalidades, portanto, na hora de contratar, escolha a empresa que não seja bola murcha.

Veja também: como se proteger de vazamentos de dados.

Em suma

Um app promove aproximação com o público, novos canais de vendas, integração de informações corporativas dentre outros. Porém, desenvolvê-los não é uma tarefa simples, mas pode se tornar com o outsourcing de aplicativos, vulgo terceirização do desenvolvimento de aplicativos.

Terceirizar o desenvolvimento traz benefícios como determinar o tempo da contratação, não estabelecer relação empregatícia e, especialmente, foco no core business. Afinal, os C-levels passam maior parte do tempo solucionando crises, logo, todo tempo é precioso.

Adicionar aplicativos na estratégia de negócios é um passo importante para a transformação digital. Outra preocupação da diretoria é manter o negócio vivo e em pleno crescimento para sobreviver ao tempo. Portanto, essa transformação é necessária. Então, recomendo também a leitura do artigo sobre as mudanças no Magalu e os impactos positivos na marca.

Recomendo também conhecer empresas de aplicativos e aplicar tudo que aprendeu aqui para avaliá-las.

Tópicos

2 respostas

  1. Olá gostei muito dos esclarecimentos dessa matéria!
    Mas se possível gostaria que vocês esclarecesse uma dúvida: Se quando meu aplicativo tiver pronto eu terei acesso a ele como Administrador simples, ou serei um simples usuários do mesmo?

    1. Olá, Carlos. Aqui na Usemobile apenas desenvolvemos os aplicativos para os clientes e nada mais, então o app seria totalmente seu, com acesso aos painéis de administração dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Junte-se a mais de 62.000 mil assinantes e tenha acesso a conteúdos exclusivos

Estamos contratando, venha conferir nossas vagas