Scaleup: as principais diferenças para uma startup

Aqui no blog, você já viu muitos artigos sobre startup, certo? Ensinamos o que é, como abrir sua startup, e até mesmo como escalá-la. Agora, surgimos com um novo conceito: Scaleup! Muitas pessoas confundem os dois conceitos, apesar de existir algumas diferenças básicas entre eles. Você sabe o que é uma scaleup? O que é necessário para se considerar uma?

Primeiramente… O que é uma scaleup?

Basicamente, scaleups são empresas que estão dentro de um grupo de alto crescimento. Ou seja, que crescem 20% ao ano, seja em receita ou número de funcionários, por três anos consecutivos. Além disso, é necessário que apresente um modelo de negócio sustentável.

A comunidade de tecnologia parece ter uma fixação em startups. Entretanto, nos últimos tempos, as scaleups estão começando a roubar a cena. Entenda, com as mudanças nos modelos de negócio, era conveniente taxar praticamente tudo e qualquer empresa nova de startup. Não à toa, o conceito ainda é muito discutido por diversos estudiosos e pensadores da área.

Agora, falando sobre scaleup, o assunto muda um pouco. Ao contrário de startup, o conceito está bem mais definido. Apesar de se parecerem, basta comparar os dois conceitos para perceber diferenças consideráveis entre os dois.

Validação do produto:

De um lado, a startup busca encontrar o seu lugar no mercado, desenvolvendo seu produto ou serviço, experimentando a segmentação de clientes e trabalhando para alcançar a lucratividade. A scaleup, por outro lado, já validou seu produto no mercado e provou que a empresa é sustentável. A missão dela é continuar a ascender.

Ou seja, em busca de uma fórmula vencedora, as startups investem dinheiro para aprender, experimentar e encontrar validação. Enquanto isso, scaleups investem dinheiro e aceleram o crescimento, pois sabem que investir $X retornará $Y.

Colaboradores:

Em uma startup, há um viés inicial na contratação de funcionários “completos”, aqueles que são generalistas. Isso porque eles podem conseguir muito com pouco, ou seja, permitem que a empresa cresça com uma equipe menor. Entretanto, à medida que a organização cresce, uma pessoa não pode mais “fazer de tudo”. Isso pode ser um momento difícil para o negócio, em que escolhas cruciais precisam ser feitas. Trocar os generalistas por um grupo de especialistas, ou trazer uma equipe especializada para trabalhar sob o comando deles pode ser uma boa opção, mas esse ainda é um ponto difícil na transição de startup para scaleup.

Riscos:

Como startup, você não precisa se preocupar em atrapalhar sua imagem, e pode se dar ao luxo de assumir riscos. Dessa forma, os riscos podem levar a um acerto bem grande, uma “fórmula perfeita” para seu produto/serviço. Entretanto, isso muda gradualmente, pois, à medida que a empresa aumenta de tamanho, há menos possibilidade de experimentar. Afinal, após alcançar o sucesso de ter vários clientes, parceiros e colaboradores, uma empresa não pode se dar ao luxo de cometer erros que possam sujar sua imagem.

Operacionalização:

Apesar de serem vistos de forma negativa no início, os processos e burocracia são um mal necessário quando sua empresa cresce. Quando uma equipe é pequena, ter processos definidos pode ser mais um empecilho do que uma ajuda. Isso porque é muito mais simples apenas levantar da cadeira e pedir a alguém para ajudá-lo. No entanto, uma vez que você a empresa cresce, é necessário priorizar solicitações, manter registro de atividades, acompanhar trabalhos etc.

Liderança:

A liderança necessária para uma startup é muito diferente da liderança exigida por um scaleup. As habilidades necessárias para conduzir uma equipe podem mudar drasticamente com o crescimento da empresa. Elas muitas vezes podem evoluir a partir desse crescimento, entretanto, isso pode exigir a criação de um novo conjunto de habilidades de fora, com a experiência de administrar esse tipo de empresa.

Como podemos ver, há uma grande diferença entre startups e scaleups. Pensou em alguma outra que não está na lista? Deixe nos comentários!


  • Mariana Storto
  • Analista de Marketing Digital e SEO
  • Nascida no interior de São Paulo, já me tornei mineira de coração. Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto, sou apaixonada por Comunicação e Marketing Digital. "A vitalidade é demonstrada não apenas pela persistência, mas pela capacidade de começar de novo."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *