O que vale mais a pena ter um carro ou andar de Uber?

A decisão de viver sem carro vai muito além de colocar na “ponta do lápis” o comparativo entre manter o veículo na garagem ou usar as muitas alternativas de mobilidade urbana, como o Uber. Mas o que é mais vantajoso para o seu bolso?

Um erro comum é considerar, neste cálculo, apenas o custo da compra do veículo. Se pensarmos assim, é provável que manter o veículo na garagem seja a opção mais vantajosa, mas um veículo é um “passivo” e como todo “passivo” ele não gera lucro e o pior, gera gasto (muito gasto).

Vamos pensar juntos, considerando um veículo médio de R$40.000,00, logo de saída precisamos considerar que estes R$40.000,00 deixarão de estar investidos.

Para este cálculo, utilizaremos uma rentabilidade de 0,5% a.m., em 30 dias você deixou de ganhar R$200,00, e se pensarmos na mágica dos juros compostos, em 12 meses você deu para o “seu filho carro” mais de R$2.500,00.

Vamos falar de gastos obrigatórios… Bom, você comprou o “Carango” agora tem que  encher o tanque. Pois é, meu amigo, o preço parece de Whisky 12 anos, mas é só Gasolina mesmo. Num tanque de 45 litros com a Gasolina a R$4,85 você deixou lá no posto R$218,25. Imagina no ano, o dono do posto te ama.

Vamos fazer a alegria de outro amiguinho? Coloca aí na planilha tudo que você vai pagar para o Governo, seja Federal, Estadual ou Municipal. Nesta categoria temos o velho conhecido IPVA e seus primos Licenciamento e Seguro Obrigatório. Da mesma família temos o Sr. Pedágio e a tia chata que sempre aparece sem ser convidada, a Dona Multa.

Continuando nos gastos não lembrados: Estacionamento, Manutenção e Seguro do veículo.

Não precisamos nem falar do primeiro, né?! Em algumas cidades, a julgar pelo preço do estacionamento, parece que você deixou seu carro num resort em Cancun, mas é só um mini espaço escuro e abafado. Mas fazer o quê, não dá pra chegar no trabalho e colocar o carro na pasta.

Agora, se você for mulher, repita comigo, “serei enganada por um mecânico alguma vez na vida”, aceita que dói menos. Mas vocês homens que nos lêem, também deixarão um rico dinheirinho lá na oficina.

O seguro do nosso veículo de R$40.000,00 gira em torno de uns R$1.500,00 por ano. Claro que se você for homem, solteiro, menor de 26 anos, morando em zonas com alto índice de roubo de carro esse valor pode até dobrar.

Mas mesmo com tudo isso você tirou o dinheiro do banco, comprou o carro, abasteceu, pagou tudo que podia e agora quer vender esse “filho”. O “filho” pode ser valioso pra você, mas para o mercado, o seu “filho” vale 20% a menos do que quando saiu da concessionária.

Sei que fomos condicionados a associar o carro com liberdade, sucesso, facilidade e conforto, mas, atualmente, com as muitas opções de mobilidade não precisamos abrir mão de nada disso.

Os aplicativos tipo Uber, 99, Cabify dentre outros estão aí para mantermos todo o conforto, liberdade e mobilidade de ter um veículo a disposição, porém sem ter que arcar com todos os custos dessas conveniências.

Além do mais, acredito que os bens mais preciosos que temos atualmente são o tempo e o bem estar, e jogamos os dois no lixo quando estamos no trânsito. Claro que usando os aplicativos de mobilidade ainda estaremos presos em carros, mas podemos aproveitar esse tempo para ler, estudar, tirar aquele cochilo, checar uns e-mails…. te garanto, a rotina de passageiro é bem mais interessante que a de motorista.

Ok, estou escutando daqui você dizer que vai ficar muito mais caro usar os aplicativos de mobilidade. Pode ser que sim, se você usa muito o carro, ou trabalha com o carro, ou precisa viajar sempre, essa não é uma alternativa pra você, mas dá pra fazer essa conta também.

Vamos usar a tabela do Uber: A tarifa base é R$2,00, para cada Km rodado o app cobra mais R$1,40 e mais R$0,26 por minuto rodado. O Aplicativo faz um perspectiva da quilometragem e do tempo gasto na viagem e te retorna o preço total.

Exemplo: Numa corrida de 10 quilômetros, que durará 20 minutos o custo será de R$21,20.

Não é suuuuuper barato, mas precisamos considerar que o gasto é só esse. Nada de seguro, estacionamento, gasolina, multa, impostos….

Fato, vivemos novos tempos. A posse do veículo hoje já não é mais um indicativo de sucesso na vida e os aplicativos de mobilidade vieram para ficar. Reflita com o bolso, considerando o seu bem estar e responda: realmente preciso ter um carro hoje em dia?


  • Tatiana Bartolomeu
  • Analista Financeira
  • Ansiosa e perfeccionista como toda boa virginiana. Fisioterapeuta por formação, mas descobri no mercado financeiro minha grande paixão. Pós graduada em Economia e Finanças, com certificação CPA-10 e CPA-20 pela ANBIMA. Viagens, vinhos, livros, gráficos, balancetes e amigos.... esse é meu mundo!

1 comentário no post “O que vale mais a pena ter um carro ou andar de Uber?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *